Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Petróleo recua 0,5% com alta do dólar após ação de BCs

Por Da Redação
5 jul 2012, 17h42

Por Renan Carreira

Nova York – Apesar de um inesperado forte declínio nos estoques de petróleo nos Estados Unidos, os contratos futuros da commodity negociados na bolsa mercantil de Nova York (Nymex) fecharam em ligeira queda nesta quinta-feira, pressionados pela alta do dólar e pela redução das esperanças de medidas agressivas de estímulo nos EUA.

O contrato do petróleo WTI para agosto caiu US$ 0,44 (0,5%) e terminou a US$ 87,22 por barril. Na plataforma ICE, o petróleo do tipo Brent avançou US$ 0,93 (0,93%) e encerrou a US$ 100,70 por barril.

Tanto o Banco Central Europeu (BCE) quanto o banco central da China cortaram suas taxas de juro, numa tentativa de estimular suas economias. Isso, por sua vez, estreitou a diferença entre as taxas de juros deles e dos EUA, o que tornou o dólar atrativo. O ICE Dollar, que compara a moeda americana ante uma cesta de seis principais rivais, subiu 1,26%. Como o petróleo é negociado em dólar, a valorização da moeda americana torna a commodity mais cara para compradores que usam outras divisas.

Analistas também disseram que os contratos futuros foram influenciados pela possibilidade de que o quadro de empregos nos EUA esteja melhorando. Geralmente, uma baixa taxa de desemprego favorece o petróleo, indicando que mais pessoas estão dirigindo para o trabalho e tendo mais dinheiro para gastar. No entanto, agora os participantes do mercado temem que uma visão otimista diminua as perspectivas de medidas de estímulo pelo Federal Reserve.

Continua após a publicidade

Mais cedo foi divulgado que o setor privado norte-americano criou 176 mil empregos em junho, em comparação a maio, em base sazonalmente ajustada, segundo o relatório da ADP/Macroeconomic Advisers. O número superou a expectativa dos economistas consultados pela Dow Jones, que previam 108 mil novas contratações em junho.

Além disso, os estoques de petróleo dos EUA caíram 4,270 milhões de barris na semana encerrada em 29 de junho, para 382,896 milhões de barris, conforme informou nesta quinta-feira o Departamento de Energia (DOE, na sigla em inglês). A estimativa dos analistas era queda de 1,4 milhão de barris.

A atenção dos investidores se volta agora para a divulgação, programada para sexta-feira, do relatório mensal de emprego nos EUA referente ao mês passado. As informações são da Dow Jones.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.