Clique e assine com até 92% de desconto

Petróleo do Texas fecha em queda de 2,65%

Por Da Redação 20 jun 2012, 16h49

Nova York, 20 jun (EFE).- O petróleo do Texas fechou nesta quarta-feira em queda de 2,65%, cotado a US$ 81,80 dólares o barril, preço que não era registrado desde outubro, num dia em que foi divulgado um inesperado aumento das reservas de petróleo e no qual o Federal Reserve (Fed) não convenceu o mercado com a Operação Twist, que comprará US$ 267 bilhões em títulos de longo prazo.

No fechamento da sessão da semana na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos de futuros do Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) para entrega em julho caíram US$ 2,23 em relação ao fechamento de terça-feira.

A forte queda do petróleo ocorreu num dia em que o Departamento de Energia anunciou que as reservas dos Estados Unidos aumentaram em 2,9 milhões de barris na semana passada e ficaram em 387,3 milhões de barris.

A maioria dos analistas tinha calculado uma queda semanal de 600 mil barris, e agora as reservas de petróleo estão acima de média para esta época do ano e se encontram 6,4% maiores do que há um ano.

A queda do petróleo também se deveu ao Fed, que anunciou a prorrogação até o fim do ano da Operação Twist. Para o banco central americano, o prosseguimento da medida, lançada em setembro de 2011, ‘deveria diminuir as pressões nas taxas de juros a longo prazo e ajudar para que as condições financeiras gerais sejam mais expansivas’.

Ao término de sua reunião de dois dias, o Comitê de Mercado Aberto do Fed decidiu que continuará com a política monetária que manteve a taxa básica de juros abaixo de 0,25% desde dezembro de 2008, e prometeu permanecer com este índice até o fim de 2014.

Os contratos de gasolina com vencimento em julho diminuíram US$ 0,5 e fecharam em US$ 2,59 por galão (3,78 litros), após ser divulgado que as reservas aumentaram em 900 mil barris (0,5%) e ficaram em 202,7 milhões de barris, contra os 201,8 milhões de barris da semana anterior.

Os contratos de gasóleo para calefação também para entrega em julho diminuíram US$ 0,5 e acabaram em US$ 2,58 por galão, após se conhecer que suas reservas aumentaram em 1,2 milhões de barris (1%) e ficaram em 121,1 milhões de barris, frente aos 120 milhões de barris da semana anterior.

Já os contratos de gás natural com vencimento em julho diminuíram US$ 0,3 até fechar a sessão em US$ 2,51 dólares por cada mil pés cúbicos. As reservas de gás natural serão anunciadas nesta quinta-feira. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade