Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Petrobras vai retomar operação em unidades de Pasadena

Estatal disse que os trabalhos só voltarão após a conclusão de reparos de manutenção

Por Da Redação 9 abr 2015, 11h09

A refinaria de Pasadena, da Petrobras, no Texas (EUA), retomará as atividades de determinadas unidades após a conclusão de reparos de manutenção, segundo um documento entregue pela companhia à Comissão do Texas em Qualidade Ambiental. O documento cita a unidade de craqueamento catalítico fluido e a unidade de recuperação de enxofre como fontes de emissões.

A refinaria de Pasadena, no Texas, considerada o pior negócio já feito pela Petrobras, está com diversas unidades de produção paradas há mais de um mês, conforme publicou o site de VEJA nesta semana. Trata-se da segunda grande parada industrial em cinco meses. Em outubro do ano passado, a refinaria também teve unidades paralisadas, alegando manutenção. A planta, adquirida pela Petrobras da empresa belga Astra Oil num negócio avaliado em 1,9 bilhão de dólares – e que, hoje se sabe, resultou em pagamento de propina a Paulo Roberto Costa – tem capacidade para produzir cerca de 100 mil barris de petróleo por dia. Mas, devido à precariedade de seu maquinário – a refinaria é uma das mais antigas do Golfo do México -, manutenções sucessivas nem sempre permitem que a planta opere em sua capacidade máxima.

Para se ter uma ideia, apenas em março, cinco das seis unidades de produção foram interrompidas, segundo relatório enviado pela empresa à Agência de Energia dos Estados Unidos. A unidade de destilo ficou 28 dias sem funcionar, enquanto a de refino, 31 dias. Em outubro, a unidade de craqueamento catalítico – um dos processos químicos que transforma o petróleo em combustível – também ficou paralisada por cerca de um mês.

As paralisações são procedimento comum para permitir a manutenção em refinarias de petróleo. Contudo, segundo o relatório obtido pelo site de VEJA, trata-se da primeira vez, desde que a refinaria foi adquirida, que uma sucessão de paradas dessa magnitude, em intervalo tão curto, é feita.

Leia mais:

Alvo do petrolão, refinaria de Pasadena está parada

Petrobras desembolsará R$ 10 milhões para pagar impostos de Pasadena

Pasadena: Mau, não. Péssimo negócio

Continua após a publicidade

Publicidade