Clique e assine com até 92% de desconto

Petrobras tem interesse em ter PDVSA como sócia

Presidente da estatal, Graça Foster, reitera que quer a petroleira venezuelana como sócia na refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco

Por Da Redação 1 ago 2012, 14h58

A presidente da Petrobras, Graça Foster, disse nesta quarta-feira que existe interesse da Petrobras de ter a PDVSA – a estatal venezuelana da área de petróleo – como sócia na refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco. Segundo a executiva, a estatal também tem interesse em que a PDVSA consiga apresentar garantias ao BNDES para tomar um empréstimo de 4 bilhões de dólares, o que permitiria oficializar a parceria.

“Enquanto houver potencial de ser um bom negócio vamos discutir com eles”, disse a jornalistas, após palestra organizada pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef). De acordo com Graça, 60,5% das obras já estão concluídas. Ela também informou que, devido ao estágio da obra, a Petrobras convidou o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, para visitar o empreendimento. Não há data, contudo, para a possível visita.

Leia mais:

Chávez: Venezuela no Mercosul acelera ‘mudança geopolítica’

Ingresso da Venezuela no Mercosul provoca protestos

Petrobras detalha iniciativas para melhorar eficiência

Continua após a publicidade

Petrobras deverá cobrar por serviço de logística

Nova diretoria – Graça Foster também disse ser possível o anúncio, na próxima sexta-feira, do nome de um novo diretor para a área Internacional, após reunião do Conselho de Administração da companhia e a divulgação dos resultados referentes ao segundo trimestre. A presidente acumula a função há alguns dias, depois da saída do diretor Jorge Zelada.

“Eu gostaria (que fosse anunciado na sexta-feira). Por razões óbvias, estou um pouco sobrecarregada de trabalho”, afirmou. Graça confirmou que José Carlos Amigo, gerente executivo que ocupou temporariamente a diretoria em 2012 como diretor em exercício, é um dos cotados para a vaga. “Amigo é um nome que tem sido bastante discutido”.

Já em relação a boatos sobre a indicação do executivo Alexandre Pena, ela disse que não o indicaria a nenhuma diretoria. A presidente lembrou que, no passado, já pediu o afastamento dele da gerência executiva em Gás e Energia, quando ela era a diretora da pasta. “Acho que ficaria um pouco complicado (indicá-lo agora)”, disse.

Graça afirmou finalmente que é contra a extinção da área internacional. “São os olhos da Petrobras fora do Brasil”, disse. O resultado do segundo trimestre será divulgado na sexta após fechamento do mercado.

(com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade