Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lucro da Petrobras no 3º trimestre decepciona e ações caem

A alta foi de 2.397% ante o lucro de 266 milhões de reais no mesmo período de 2017

A Petrobras reportou lucro líquido de 6,644 bilhões de reais no terceiro trimestre de 2018. O número representa uma alta de 2.397% ante 266 milhões de reais no mesmo período de 2017. Por outro lado, também representa uma queda de 34% em relação aos três meses anteriores. Isso frustrou investidores, que esperavam uma lucratividade semelhante à do segundo trimestre.

O lucro líquido registrado pela estatal no terceiro trimestre ficou 37,26% abaixo das expectativas de analistas. As projeções indicaram lucro líquido de 10,590 bilhões de reais, conforme a expectativa de analistas do Santander, Morgan Stanley, Guide, XP e Itaú BBA.

Os números frustrantes pesam nas negociações das ações da estatal nesta terça-feira, 6. Às 11h45, os papéis da Petrobras apresentavam desvalorização de 2,56%, cotados a 27,44 reais.

De acordo com a companhia petrolífera, o resultado foi afetado pelos acordos firmados, em setembro, com o Departamento de Justiça dos EUA (DOJ) e com a Securities and Exchange Commission (SEC), entidade reguladora do mercado de valores mobiliários dos Estados Unidos, para encerramento das investigações no país, no valor de 3,5 bilhões de reais. “Excluindo-se esses acordos, bem como os efeitos do acordo da Class Action, o lucro líquido seria de 10,269 bilhões de reais no trimestre e 28,012 bilhões de reais no acumulado do ano”, afirma a empresa.

Ainda assim, a Petrobras apresentou lucro líquido de 23,677 bilhões de reais nos primeiros noves meses de 2018, “o melhor resultado desde 2011” e um crescimento de 371% comparado a igual intervalo do ano anterior.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da petroleira foi de 29,856 bilhões de reais, alta de 55,3% em relação ao mesmo intervalo de 2017, de 19,223 bilhões de reais, e leve recuo de 1% ante o segundo trimestre deste ano, de 30,067 bilhões de reais. De janeiro a setembro, o Ebitda totalizou 85,691 bilhões de reais, avanço de 35% ante o mesmo período de 2017.

O Ebitda ajustado também ficou abaixo da média das estimativas dos analistas, de 35,761 bilhões de reais, uma variação de 16,5%.

A receita líquida somou 98,260 bilhões de reais no período, o que significa um incremento de 36,81% na comparação anual, de 71,822 bilhões de reais, e de 16% na trimestral, de 84,395 bilhões de reais. Neste caso, o montante ficou dentro da projeção de 93,757 bilhões de reais.

O resultado financeiro líquido da estatal ficou negativo em 5,841 bilhões de reais no trimestre encerrado em setembro, 21% menor que a cifra negativa em 7,411 bilhões de reais de igual trimestre de 2017 e acima das despesas financeiras líquidas de 2,647 bilhões de reais no segundo trimestre de 2018.