Clique e assine a partir de 9,90/mês

Petrobras corta salário de executivo, reduz investimento e adia dividendo

Pandemia de coronavírus afeta as operações da empresa, com obras adiadas, queda do preço do petróleo e disparada do dólar

Por Da Redação - Atualizado em 26 mar 2020, 18h36 - Publicado em 26 mar 2020, 15h14

A Petrobras anunciou uma série de medidas para mitigar os efeitos do novo coronavírus nos negócios da empresa, nesta quinta-feira, 26. Além de, claro, reforçar as condições sanitárias para os funcionários, a estatal divulgou a redução dos investimentos previstos para este ano, de 12,5 bilhões de dólares para 8,5 bilhões de dólares. O corte ocorre por três motivos: a inércia de atividades acusada pela pandemia, o despencar do preço do barril de petróleo por causa da paralisação de atividades mundo afora e a disparada do dólar.

ASSINE VEJA

A guerra ao coronavírus A vida na quarentena, o impacto da economia, o trabalho dos heróis da medicina: saiba tudo sobre a ameaça no Brasil e no mundo
Clique e Assine

A empresa anunciou ainda a redução de despesas em 2,4 bilhões de reais com seus funcionários. Foram adiados os pagamentos de benefícios como horas extra e bonificações por performance e de 30% dos salários da alta cúpula da Petrobras, como o do presidente, Roberto Castello Branco, diretores e gerentes. A petroleira também suspendeu promoções por tempo indeterminado e adiou o pagamento de 1,7 bilhão de reais em dividendos, para dezembro.

A Petrobras doou ao Sistema Único de Saúde, o SUS, 600 mil testes para diagnóstico de Covid-19, que foram importados dos Estados Unidos e chegarão ao Brasil em abril. A companhia também criou um grupo multidisciplinar de profissionais de seu centro de pesquisas para avaliar e propor soluções em parceria com universidades, empresas e instituições que possam ajudar no combate ao coronavírus.

Publicidade