Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Petrobras cai quase 400 posições em lista de maiores do mundo

Estatal despencou do 30º para o 416º lugar em ranking da Forbes que classifica as 2.000 maiores empresas do mundo

Por Da Redação Atualizado em 29 jan 2021, 16h59 - Publicado em 6 Maio 2015, 14h04

A Petrobras perdeu quase 400 posições no ranking de 2.000 maiores empresas do mundo publicada anualmente pela revista Forbes. A petroleira despencou da 30º para o 416º lugar em relação ao ano passado. No ranking de 2013, a companhia ficou em 20º lugar. Em 2012, estatal aparecia no 10º lugar. A Forbes classifica a Petrobras como uma das “maiores perdedoras de alto perfil” do ano e cita “escândalos contábeis e de corrupção“.

Os ativos da estatal foram avaliados em 298,7 bilhões de dólares, ante um valor de 319,2 bilhões de dólares no ano passado. Na mesma base de comparação, o valor de mercado da empresa despencou de 86,8 bilhões de dólares para 44,4 bilhões de dólares.

Entre as 24 empresas brasileiras da lista, o Itaú Unibanco é a melhor colocada no ranking, em 42º lugar. Na sequência, estão Banco Bradesco (61º lugar), Banco do Brasil (133º lugar) e Vale (413º lugar). No ano passado, 25 companhias brasileiras participaram da lista.

Leia mais:

Petrobras publica balanço de 2014 com perdas de R$ 6,2 bi em corrupção

Petrobras confirma divulgação do balanço do 1º tri em maio

China – Bancos chineses ocuparam as quatro primeiras posições do ranking. O Industrial and Commercial Bank of China (ICBC) é o primeiro da lista, com valor de mercado de 278,3 bilhões de dólares. Na sequência, aparecem China Construction Bank, Agricultural Bank of China e Bank of China. Em seguida, vêm os bancos americanos Berkshire Hathaway, JPMorgan Chase e a petroleira Exxon Mobil. O top 10 é completado por PetroChina, General Electric e Wells Fargo.

Destaques – Entre os destaques positivos deste ano está o Facebook, que ganhou mais de 200 posições, ficando em 280º lugar, devido ao aumento de receitas e lucros. A Forbes também destaca o desempenho da American Airlines, que ganhou 500 posições, para 221º lugar, beneficiada por preços mais baixos do petróleo, que barateia o custo de combustível.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade