Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Petrobras atinge recorde de importação de gasolina

País já compra diariamente 100 mil barris do combustível importado – um quarto de toda a gasolina consumida no mercado doméstico

Pico na importação da gasolina deve-se ao aumento da demanda, por conta das férias de verão, e à quebra de safa da cana-de-açúcar, que tornou o preço do etanol pouco competitivo

A Petrobras atingiu nesta semana nível recorde de importação de gasolina de 100 mil barris por dia, disse nesta terça-feira o diretor de Abastecimento da estatal, Paulo Roberto Costa. Esse volume é quase um quarto de todo o consumo diário do país, de 449 mil barris.

Com o pico, a estatal revisou para cima a média de importações em 2011, de 45 mil para 47 mil barris diários. No início de dezembro, as importações haviam atingido 70 mil barris/dia. Já a média de importação de gasolina prevista para 2012 foi estimada em 55 mil barris diários.

Consumo – O consumo de gasolina cresceu 23,2% no Brasil até novembro, ante um aumento já considerado excepcional em 2010, de 19%.

A estatal tem aumentado as importações do derivado de petróleo para compensar uma queda na produção de etanol. “Cerca de 30 a 40 milhões de pessoas mudaram de classe social no Brasil nos últimos anos e o consumo de gasolina está diretamente relacionado ao aumento do poder de compra da população. Além disso, houve quebra na safra de cana, o que deixou o preço do etanol pouco competitivo”, diz Costa.

O executivo afirmou que as vendas de diesel pela Petrobras cresceram 9% até novembro, e devem encerrar 2011 neste patamar, contra um PIB (Produto Interno Bruto) de menos de 3% esperado para o ano.

Projeções – O diretor da Petrobras estima que, para 2012, este cenário de alta do consumo de gasolina deve se manter. As expectativas da empresa contemplam um aumento de 21% na demanda na comparação com este ano.

Costa avalia que esse pico de consumo de gasolina irá arrefecer a partir de março. “O auge do consumo de gasolina costuma ser nas férias de verão, quando as pessoas costumam viajar de carro. Depois essa demanda cai e a de diesel aumenta, em função do início da colheita das safras agrícolas”, explica.

Um outro agravante para 2012, segundo o diretor da Petrobras, é a capacidade de refino da estatal, que atingiu o limite em 2011. As novas refinarias, ainda em construção, só começarão a produzir em 2013 e apenas diesel, não gasolina.

(com Reuters)