Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Pesquisa Ibope acalma mercado e dólar cai para R$ 4,14; Bolsa sobe

Dólar chegou a ser vendido por R$ 4,11 na mínima do dia. Mercado vê melhora no desempenho de Bolsonaro em levantamento do Ibope

Por Ana Paula Machado
Atualizado em 12 set 2018, 15h04 - Publicado em 12 set 2018, 12h04

Após a pesquisa de intenção de voto do Ibope, divulgada na terça-feira, 11, mostrar melhora no desempenho do candidato do PSL, Jair Bolsonaro, o dólar passou a operar em queda nesta quarta-feira, sendo negociado por 4,14 reais. Na mínima do dia, a moeda americana foi vendida por 4,11 reais. Às 10h50, era comercializado por 4,139 reais, queda de 0,35%.

Na véspera, o dólar fechou em 4,154 reais – o segundo maior valor desde 21 de janeiro de 2016 – após uma outra pesquisa, a do Datafolha, mostrar um cenário menos favorável a Bolsonaro, vítima de um ataque a faca em Juiz de Fora (MG) e que está internado no hospital Albert Einstein. Na avaliação do mercado, o levantamento do Ibope mostra que a candidatura do capitão reformado do Exército se fortaleceu após o atentado.

Reginaldo Galhardo, gerente de câmbio da corretora Treviso, foi um dos que atribuíram a calmaria do mercado nesta quarta-feira ao melhor desempenho de Bolsonaro na pesquisa Ibope.

“O crescimento de Bolsonaro na última pesquisa deu um alento aos investidores. Parece que o mercado desistiu de apostar na candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) como a mais indicada para realizar as reformas que o país necessita”, disse Galhardo.

Continua após a publicidade

Levantamento do Ibope mostra que Bolsonaro subiu quatro pontos percentuais em relação à pesquisa anterior, atingindo 26% das intenções de voto na preferência do eleitorado. Aparecem tecnicamente empatados em segundo lugar os candidatos Ciro Gomes (PDT), com 11%, Marina Silva (Rede) e Geraldo Alckmin, com 9% cada, e Fernando Haddad (PT), com 8%.

“Seu nível de rejeição caiu de 44% para 41%. Além disso, ele mostrou-se mais competitivo nos cenários de segundo turno. Na verdade, qualquer cenário em que o PT não assuma o governo é avaliado como positivo para o mercado”, afirmou Galhardo.

Em seu relatório diário, a Guide Investimentos enfatiza a melhora de desempenho de Bolsonaro no segundo turno e a estagnação de Alckmin nas pesquisas.

“O ouro revelado ontem é que agora ele [Bolsonaro] está bem mais competitivo em um eventual segundo turno. Está bem empatado, dentro da margem, com todos os demais candidatos. Essa dinâmica de segundo turno do capitão é o principal indicador, além de sua rejeição, a ser monitorado”, afirma a Guide em relatório ao mercado.

Continua após a publicidade

Sobre o desempenho de Alckmin, a Guide diz que a expectativa de melhora com o início da propaganda eleitoral de rádio e TV acabou não se confirmando. “Fato é que no começo todos projetavam um cenário fabular, no melhor estilo da corrida entre a lebre e a tartaruga, que Alckmin aos poucos iria ganhando fôlego e eventualmente se igualaria à lebre (Bolsonaro). Já estamos próximos da metade da corrida, 13 dias de propaganda eleitoral correndo e a tartaruga continua muito atrás.”

Já o Ibovespa, principal índice negociado na Bolsa de Valores de São Paulo, segue em alta de 0,78% alcançando 75.242,32 pontos no pregão desta quarta-feira, 12.

Em relatório, a Rico Investimentos aponta que a divulgação da pesquisa do Ibope mostrou que o incidente ocorrido na última quinta-feira, quando Bolsonaro foi esfaqueado, “exerceu impacto positivo em sua candidatura”.

“A volatilidade no mercado deve continuar. Se ontem (terça-feira) a bolsa caiu forte devido às incertezas geradas no âmbito eleitoral, advindas, principalmente, após a divulgação da pesquisa do instituto Datafolha, hoje (quarta-feira), o mercado respira com mais alívio”, afirma a Rico Investimento em relatório.

Continua após a publicidade

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.