Clique e assine a partir de 8,90/mês

Perdas do varejo mundial recuam em 2010

Pesquisa mostra que os prejuízos diminuiram na esteira da melhoria da economia e dos maiores investimentos em prevenção e segurança

Por Derick Almeida - 20 out 2010, 17h00

O varejo global apresenta neste ano menores perdas irrecuperáveis, onde se destacam os prejuízos com roubo. Segundo o quarto relatório anual “The Global Retail Theft Barometer”, a taxa geral recuou 5,6% nos últimos 12 meses (para o período que vai de julho de 2009 a junho de 2010). Tal desempenho implicou a reversão do pico verificado na pesquisa anterior, que capturou os efeitos da crise econômica global. Como razões para a atual melhoria, o levantamento realizado pelo Centro de Pesquisa do Varejo, sediado na Inglaterra, aponta a retomada da economia e a ampliação dos investimentos em programas de prevenção de perdas e em segurança.

Os setores varejistas brasileiro e marroquino ocupam a segunda posição na ranking de custos irrecuperáveis, com 1,64% do total das vendas. A primeira posição ficou com a Índia, com 2,72% do total. O estudo, contudo, faz a ressalva que o país melhorou significativamente em 2010, tendo reduzido em 15% sua taxa sobre o ano anterior.

O prejuízo total reportado pelos varejistas neste ano é de 107,3 bilhões de dólares neste ano, ou 1,36% do faturamento. Deste montante, a América Latina representa 5,82 bilhões de dólares, ou 5,4%, sendo que Europa e Estados Unidos somam 83,82 bilhões de dólares, ou 78,2% do total. No cálculo estão inclusos, além dos furtos de clientes, os roubos praticados por funcionários e erros de contabilidade das empresas, como fraudes nas relações entre fornecedores e vendedores.

As nações emergentes dominam as primeiras posições do ranking formado por 42 países, em que 1,103 varejistas foram entrevistados. As redes varejistas que mais sofrem com roubos são farmácias e lojas de eletrônicos, materiais de construção, roupas e acessórios de moda e cosméticos. Os ladrões demonstram maior interesse por artigos destes setores, pois tem bom valor de revenda e demanda garantida.

De acordo com a Global Retail Theft Barometer, pela primeira vez em três anos, aumentou o investimento em segurança por parte dos varejistas, para 26,8 bilhões de dólares. Algumas das ações preventivas tomadas foram treinamento de funcionários, revisão das políticas de segurança por meio de auditorias e aumento de proteção aos produtos nas lojas.

Continua após a publicidade
Publicidade