Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA têm maior nível em 4 meses

Cerca de 385 mil pessoas já entraram com pedido de ajuda do governo. Essa foi a terceira semana consecutiva de alta nos pedidos

Por Da Redação - 4 abr 2013, 12h11

Consultoria acredita que cortes de gastos do governo deverão resultar em mais demissões

O número de norte-americanos que solicitaram novos pedidos de auxílio-desemprego subiu para seu maior nível em quatro meses na semana passada, sugerindo que a recuperação do mercado de trabalho perdeu um pouco de força em março. O número dos pedidos iniciais aumentou em 28 mil em uma semana, somando 385 mil, o nível mais alto desde novembro, informou o Departamento de Trabalho dos Estados Unidos nesta quinta-feira.

Essa foi a terceira semana consecutiva de alta nos pedidos. Economistas ouvidos pela agência Reuters esperavam queda do número de pedidos para 350 mil na semana passada. A média móvel de quatro semanas, que melhor mede as tendências do mercado de trabalho, aumentou em 11.250 pedidos de auxílio, para 354.250.

Dados divulgados na quarta-feira mostraram que o setor privado americano criou 158 mil empregos em março, menos do que economistas previam (192 mil vagas em média), o que reforça a percepção de enfraquecimento no ritmo de melhora do emprego. Este também foi o menor número de vagas criadas pela iniciativa privada em cinco meses. O número é considerado um indicador sobre a tendência do relatório mensal sobre o mercado de trabalho do governo dos EUA (payroll), que engloba também dados do setor público e será divulgado na sexta-feira.

Publicidade

Leia mais:

Obama corre contra o tempo para evitar desemprego nos EUA

Indústria dos EUA tem melhor desempenho trimestral em 2 anos

Senado dos EUA supera impasse e aprova Orçamento

Publicidade