Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA têm leve queda

Por Da Redação 10 Maio 2012, 10h09

WASHINGTON, 10 Mai (Reuters) – Os novos pedidos de auxílio-desemprego dos Estados Unidos caíram na semana passada, de acordo com dados divulgados pelo Departamento do Trabalho nesta quinta-feira, o que poderia aliviar preocupações de que o mercado de trabalho está se deteriorando após o fraco crescimento de empregos em abril.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego caíram em 1 mil, para 367 mil, segundo números ajustados sazonalmente. O dado da semana anterior foi revisado para 368 mil ante 365 mil previamente reportado.

Economistas consultados pela Reuters previam que os pedidos subiriam para 369 mil na semana passada. A média móvel de quatro semanas para novos pedidos, considerada uma medida melhor sobre as tendências do mercado de trabalho, caiu em 5.250, para 379 mil.

Vindo na sequência dos ganhos fracos de emprego em abril, os dados sobre os pedidos podem acalmar os temores de que o mercado de trabalho está estagnando-se.

As empresas criaram magros 115 mil novos postos de trabalho em abril, o menor volume em seis meses, de acordo com relatório do governo divulgado na última sexta-feira.

A maioria dos economistas previam um recuo na criação de vagas como uma devolução após os ganhos induzidos pelo clima nos meses anteriores e acreditam que ritmo de crescimento de postos de trabalho ficaria em torno de 175 mil -a média mensal para os últimos três meses.

Continua após a publicidade

Até mesmo o chairman do Federal Reserve (banco central dos Estados Unidos), Ben Bernanke, disse no mês passado que o inverno mais quente provavelmente antecipou as contratações pelas empresas, impulsionando artificialmente os empregos em janeiro e fevereiro.

O número de pessoas que ainda estão recebendo auxílio-desemprego sob programas do Estado após a primeira semana de ajuda caiu em 61 mil para 3,23 milhões na semana encerrada em 28 de abril. Esse foi o menor nível desde julho de 2008.

O número de norte-americanos recebendo auxílio-desemprego emergencial caiu em 36.275 para 2,69 milhões na semana encerrada em 21 de abril, a última semana em que os dados estavam disponíveis. A quantidade de pessoas com auxílio-desemprego estendido recuou em 4.304 para 350.579.

Alguns estados estão perdendo a elegibilidade para auxílio-desemprego estendido e reduzindo a duração da compensação emergencial. Isso poderia artificialmente diminuir a taxa de desemprego, na medida em que as pessoas que param de receber o benefício desistem de procurar emprego.

A taxa de desemprego nos Estados Unidos caiu para 8,1 por cento no mês passado ante 8,2 por cento cento março.

Um total de 6,42 milhões de pessoas estavam solicitando auxílio-desemprego sob todos os programas durante a semana encerrada em 21 de abril, uma queda de 174.529 na comparação com a semana anterior.

(Reportagem de Lucia Mutikani)

Continua após a publicidade
Publicidade