Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Pedidos de auxílio-desemprego aumentam nos EUA

Número subiu para 401 mil na semana até 1º de outubro; dado veio abaixo do esperado pelos economistas

Por Da Redação - 6 out 2011, 09h48

O número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego subiu 6 mil, para 401 mil, após ajustes sazonais, na semana até 1º de outubro, informou nesta quinta-feira o Departamento de Trabalho dos Estados Unidos.

O dado veio melhor do que o esperado, pois os economistas previam um aumento maior, de 19 mil solicitações. O número da semana anterior foi revisado para uma queda de 33 mil, ante 37 mil informados anteriormente. A média móvel de pedidos feitos em quatro semanas – calculada para suavizar a volatilidade do dado – caiu 4 mil, para 414 mil.

Apesar da melhora, o nível de pedidos de auxílio-desemprego ainda está muito alto. Economistas geralmente acreditam que o país está criando mais empregos do que fechando vagas quando o número cai abaixo de 400 mil. Esse indicador só ficou inferior a essa marca durante nove semanas este ano.

Na semana encerrada em 24 de setembro, o número total de norte-americanos que recebiam auxílio-desemprego recuou 52 mil, para 3,7 milhões. A taxa de desemprego para trabalhadores com seguro-desemprego foi de 2,9% na semana até 24 de setembro, de 3,0% na semana anterior. Nos EUA, as regras para distribuição do auxílio-desemprego variam de estado para estado e nem todos os desempregados têm direito ao benefício.

Publicidade

(com Agência Estado)

Publicidade