Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pedágio nas rodovias paulistas fica mais caro nesta sexta

Reajuste médio será de 9,32%; tarifa mais passará a 1,90 real, e mais cara, a 25,20 reais

Trafegar nas estradas do Estado de São Paulo ficou mais caro nesta sexta-feira. Os motoristas pagam em média 9,32% a mais nas tarifas dos pedágios nas 144 praças de cobrança nos 6.400 quilômetros de rodovias sob concessão.

Segundo a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), o porcentual corresponde à inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Nesta sexta, começa também a cobrança na Rodovia dos Tamoios.

A tarifa mais cara do Estado, do pedágio no km 32,3 da Rodovia dos Imigrantes, passa a custar 25,20 reais. Já a de menor custo, nos treze pedágios do Trecho Oeste do Rodoanel, vai a 1,90 real.

O governo do Estado alega que, somente no ano passado, a receita dos pedágios permitiu 4,7 bilhões de reais em investimentos em obras, manutenção e operação e destacou que o Estado tem dezenove das vinte melhores rodovias do país, segundo pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT).

Do total obtido com essa receita, 451,7 milhões de reais ainda foram repassados para 264 prefeituras relativos ao Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS-QN), tributo municipal que incide sobre a tarifa de pedágio. Essa verba pode ser utilizada pelas administrações municipais para investimentos.

Tamoios – De acordo com a Artesp, para o início da cobrança na Tamoios era necessária a execução de no mínimo 6% das obras de duplicação do trecho da serra, o que já foi cumprido pela concessionária. O motorista vai pagar 3,50 reais na praça do km 15,7 e 6,20 reais ao passar pelo km 56,6.

Intermunicipal – Já as tarifas do sistema de transporte intermunicipal rodoviário de passageiros terão reajuste de 9,56% a partir de meia-noite do dia 7 no Estado de São Paulo. Segundo a Artesp, o índice levou em conta reajustes de insumos como diesel (10,28%) e salários da categoria (9,33%).

A planilha inclui ainda o aumento nos preços dos ônibus rodoviários. Mas há uma dica sempre válida para os passageiros que viajam com frequência: eles podem comprar bilhetes, pois são válidos por doze meses.

(Com Estadão Conteúdo)