Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Para evitar conflitos, Opep pode manter meta de petróleo

* Nenhuma mudança para meta de produção é vista

* Com sanções, produção do Irã é a menor em 20 anos

* Oferta da Opep é a maior desde 2008 com Arábia Saudita

Por Peg Mackey e Alex Lawler

LONDRES, 24 Mai (Reuters) – A Arábia Saudita e seus aliados no Golfo Árabe provavelmente tentarão evitar confrontação com o Irã e recomendarão deixar inalterada a meta de produção de petróleo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), quando os integrantes do cartel se reunirem no próximo mês.

Os delegados, que vão se reunir em 14 de junho em Viena, dizem que os ministros de Petróleo provavelmente não vão mexer na política de produção. Eles esperam que o processo seja rápido e discreto, evitando uma repetição da interrupção ocorrida há um ano, quando Irã e outros países se opuseram ao plano conduzido pela Arábia Saudita de aumentar a produção.

O debate foi estabelecido em dezembro, quando a Opep elevou a meta de oferta para 30 milhões de barris de petróleo por dia (bpd). A produção dos 12 países membros está agora em cerca de 1,6 milhão de bpd acima dessa meta.

“Uma manutenção seria uma decisão com a qual todos concordariam”, disse um delegado da Opep. “É a estrada com menos problemas a seguir e manterá a Opep no ritmo.”

Continua incerto se a Opep conseguirá ou não manter um limite sobre as tensões políticas causadas pelas sanções do Ocidente contra o Irã, que viu uma redução na produção de petróleo de Teerã. A Arábia Saudita assumiu a folga, bombeando mais para manter os preços sob controle.

Teerã está silenciosamente enfurecida com o aumento da produção saudita para mais de 10 milhões de bpd, a maior em 30 anos, que tem ajudado a aliviar o impacto das medidas dos Estados Unidos e da Europa contra o programa nuclear iraniano.

O Irã viu sua própria produção cair para apenas 3 milhões de bpd, a menor em duas décadas, e as expectativas são de que a produção recue ainda mais quando o embargo da União Europeia a seu petróleo entre em pleno vigor em julho.

“O Irã não está feliz com o alto nível de produção da Opep -especialmente da Arábia Saudita”, disse uma fonte iraniana. “Porém, isso deve ser discutido pelos ministros de petróleo a portas fechadas – não em público.”

A Arábia Saudita está enchendo tanques de armazenamento em casa e fora, e abastecendo a recém-expandida refinaria Aramco-Motiva no Porto Arthur, no Texas. Apesar da menor produção iraniana, a oferta geral da Opep está em seu maior nível desde 2008.

(Reportagem adicional de Amena Bakr em Dubai)

REUTERS PM RS