Clique e assine a partir de 9,90/mês

PANORAMA3-Mercado cai à espera de rebaixamentos na zona do euro

Por Da Redação - 13 jan 2012, 17h58

SÃO PAULO, 13 Jan (Reuters) – As bolsas de valores nos Estados Unidos e no Brasil operaram no vermelho nesta sexta-feira, enquanto o euro tombava mais de 1 por cento, em meio ao aumento da aversão a risco após uma onda de notícias sobre prováveis rebaixamentos de países da zona do euro alimentar mais preocupações com o bloco monetário.

O ministro francês das Finanças, François Baroin, afirmou no final da tarde que a França foi alertada de que seu rating será reduzido em um grau. A declaração reforçou uma série de notícias de que a agência de classificação de risco Standard and Poor’s rebaixará ainda nesta sexta-feira vários países da zona do euro, entre eles Itália, Espanha, Áustria, Portugal e Eslováquia.

A expectativa é de que Alemanha, Holanda, Finlândia e Luxemburgo sejam poupados.

Em dezembro, a S&P colocou os ratings de 15 países da zona do euro sob revisão negativa de crédito -incluindo os da Alemanha e da França, que têm rating máximo- e informou que “estresses sistêmicos” estavam aumentando na medida em que as condições de crédito se apertavam no bloco de 17 nações.

O sentimento dos agentes já mostrava fragilidade desde cedo, após um leilão de títulos públicos da Itália não ter atraído tanta demanda quanto o realizado pela Espanha na véspera.

Nesse contexto, dados melhores que o esperado nos Estados Unidos ficaram de lado. O índice de confiança Thomson Reuters/Universidade de Michigan subiu a 74,0 na leitura preliminar de janeiro, contra 69,9 em dezembro, marcando o quinto mês seguido de melhora e o maior patamar desde maio de 2011. Economistas ouvidos pela Reuters previam leitura menor, de 71,5.

O Ibovespa terminou em queda de 1,29 por cento, aos 59.146 pontos. Na mínima da sessão, chegou a perder os 59 mil pontos. O dólar chegou a avançar mais de 1 por cento durante a tarde, mas arrefeceu a alta perto do fechamento, em meio a perspectivas de mais entradas de recursos.

O quadro externo negativo ampliou a queda nos juros futuros, que já vinham em baixa desde cedo após dados mais fracos sobre o emprego industrial em novembro.

O movimento ocorreu antes da semana de decisão de política monetária no Brasil. O Comitê de Política Monetária (Copom) decide na quarta-feira o rumo do juro básico, e a expectativa do mercado é de nova redução de 0,5 ponto, segundo pesquisa da Reuters.

A pauta doméstica conta já na segunda-feira com a divulgação do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) referente a novembro. No mesmo dia, o mercado recebe ainda o Índice de Preços ao Consumidor-Semanal (IPC-S) da segunda quadrissemana de janeiro, além das tradicionais divulgações do relatório Focus e da balança comercial.

No exterior, a agenda reserva importantes indicadores, com destaque na terça-feira para o Produto Interno Bruto (PIB) da China no quarto trimestre, que será acompanhado por números sobre produção industrial e vendas do varejo no país em dezembro.

Na zona do euro e nos Estados Unidos serão divulgados dados sobre a inflação ao consumidor, na terça e quinta-feira, respectivamente.

O mercado também vai acompanhar novos leilões de dívida de países da zona do euro, entre os quais os ameaçados de rebaixamento, como França, Espanha, Portugal e Eslováquia. A Alemanha, que não corre risco de corte no rating, também emite dívida na próxima semana.

Veja como ficaram os principais mercados nesta sexta-feira:

CÂMBIO

O dólar fechou a 1,7901 real, em alta de 0,31 por cento frente ao fechamento anterior.

BOVESPA

Continua após a publicidade

O Ibovespa caiu 1,29 por cento, para 59.146 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 6,58 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS

Às 18h47, o índice dos principais ADRs brasileiros caía 1,01 por cento, a 31.170 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

No call das 16h, o DI janeiro de 2013 estava em 10,010 por cento ao ano ante 10,050 por cento no ajuste anterior.

EURO

A moeda comum europeia era cotada a 1,2680 dólar, ante 1,2825 dólar no fechamento anterior nas operações norte-americanas.

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, caía para 132,000 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 1,736 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS

O risco Brasil subia 8 pontos, para 237 pontos-básicos. O EMBI+ avançava 8 pontos, a 392 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones caía 0,47 por cento, a 12.412 pontos, o S&P 500 tinha baixa de 0,55 por cento, a 1.288 pontos, e o Nasdaq registrava queda de 0,56 por cento, aos 2.709 pontos.

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo mais curto fechou em baixa de 0,40 dólar, ou 0,40 por cento, a 98,70 dólares por barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia, oferecendo rendimento de 1,8705 por cento ante 1,926 por cento no fechamento anterior.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código )(Por José de Castro; Edição de X)

Continua após a publicidade
Publicidade