Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PANORAMA3-Feriado esvazia mercados; dólar acentua queda no Brasil

SÃO PAULO, 28 Mai (Reuters) – Com volumes reduzidos devido ao feriado nos Estados Unidos, os mercados experimentaram sessões um pouco mais tranquilas nesta segunda-feira, com pesquisas na Grécia trazendo perspectivas positivas, apesar de investidores ainda estarem cautelosos e de olho também na Espanha.

As bolsas dos EUA não funcionaram devido ao “Memorial Day” -feriado que homenageia cidadãos norte-americanos mortos em combate.

No mercado doméstico, a bolsa brasileira, apesar do baixo giro financeiro, subiu, enquanto o dólar caiu pelo quarto pregão seguido ante o real, refletindo ainda a atuação mais forte do Banco Central no câmbio na semana passada.

Três pesquisas eleitorais divulgadas na sexta-feira à noite na Grécia apontaram que o partido esquerdista Syriza, contrário ao pacote financeiro internacional, e o conservador Nova Democracia estão virtualmente empatados. Isso trouxe algum ânimo aos mercados. O país realiza novas eleições em 17 de junho.

Ainda em relação à Grécia, uma fonte oficial do Fundo Helênico de Estabilização Financeira (HFSF, na sigla em inglês),disse à Reuters que o fundo desembolsou 18 bilhões de euros nesta segunda-feira para os quatro maiores bancos do país como parte de um plano de recapitalização.

Os investidores também seguem atentos à situação da Espanha. No entanto, o Tesouro do país afirmou nesta segunda-feira que está em uma posição bastante forte para pagar os títulos da dívida que vencem em breve.

Uma fonte ainda disse à Reuters que o governo espanhol manteve o Banco Central Europeu (BCE) informado sobre seus planos de recapitalizar os bancos com títulos estatais, e que a instituição não apresentou nenhuma objeção.

Com a manutenção de algumas preocupações, as bolsas europeias fecharam em terreno negativo, mas sem quedas significativas, anulando os ganhos obtidos perto da abertura. O FTSEurofirst, índice que reúne as principais ações europeias, caiu 0,1 por cento, para 984 pontos.

No mercado de divisas, o euro caía e era cotado a 1,2542 dólar, às 18h44 (horário de Brasília). Enquanto isso, o índice DXY, que mede o valor do dólar ante uma cesta com as principais divisas globais, cedia 0,23 por cento.

No Brasil, o dólar teve, por sua vez, uma queda mais acentuada ante o real, refletindo, além do cenário externo, a performance mais intensa do BC na semana passada, quando a autoridade monetária só não atuou na segunda-feira.

O BC atuou por meio de leilões de swap cambial tradicional, que equivalem à compra de dólares no mercado futuro, interrompendo a trajetória de alta da moeda norte-americana.

No mercado de juros futuros, os contratos mais curtos subiram, enquanto os mais longos caíram nesta segunda-feira, experimentando um ajuste técnico em um pregão de baixo volume de operações e com a proximidade da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que começa na terça-feira.

O relatório Focus, divulgado nesta segunda-feira, mostrou que o mercado espera que a Selic seja reduzida em 0,50 ponto percentual na ocasião, para 8,5 por cento ao ano.

Nesta segunda-feira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, deixou claro que os esforços estão voltados para estimular o investimento privado, ciente de que o governo vai se deparar nesta semana com números frustrantes sobre a economia brasileira no trimestre passado.

Ainda no cenário doméstico, o Ibovespa fechou em alta, impulsionado por ações da construtora e incorporadora PDG Realtye de blue chips, no pregão com menor giro financeiro de 2012.

Na terça-feira, entre os indicadores cuja divulgação pode mexer com o mercado, nos EUA será reportada a atividade do Meio-Oeste referente a abril, além dos preços de casas de março e a confiança do consumidor relativa a maio.

Na Alemanha, sairão os preços ao consumidor relativos a maio e os preços de importados de abril. Enquanto isso, no Brasil será divulgado apenas o Indicador do Nível de Atividade (INA) da indústria paulista, também referente a abril.

Veja como ficaram os principais mercados financeiros nesta segunda-feira:

CÂMBIO

O dólar fechou a 1,9833 real, em queda de 0,56 por cento frente ao fechamento anterior.

BOVESPA

O Ibovespa subiu 1,38 por cento, para 55.212 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 3,1 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS

O índice dos principais ADRs brasileiros subiu 1,52 por cento, a 26.702 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

No call das 16h, o DI janeiro de 2014 estava em 8,510 por cento ao ano, ante 8,520 por cento no ajuste anterior.

EURO

Às 18h54 (Brasília), a moeda comum europeia era cotada a 1,2544 dólar, ante 1,2515 dólar no fechamento anterior.

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, registra 129,500 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 1,545 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS

O risco Brasil atinge 229 pontos-básicos. O EMBI+ registra 389 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

Os mercados norte-americanos não funcionaram nesta segunda-feira em função de feriado.

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo mais curto subiu 0,29 dólar, ou 0,32 por cento, a 91,15 dólares por barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, oferece rendimento de 1,7465 por cento.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código ).(Reportagem de Danielle Fonseca; Edição de Frederico Rosas)