Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PANORAMA3-Dólar fecha semana em queda com BC; DIs recuam após ata

SÃO PAULO, 8 Jun (Reuters) – Após operar parte do dia em terreno positivo, o dólar fechou em queda ante o real nesta sexta-feira, depois que o Banco Central realizou um leilão de swap cambial tradicional no início da tarde, enquanto os juros futuros caíram sob reflexo do conteúdo da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom).

O dólar fechou em queda, invertendo a tendência à tarde, após o BC vender 24.400 contratos, ou 68 por cento, da oferta de até 30 mil contratos de swap cambial tradicional nesta sexta-feira.

Foram vendidos 11.200 contratos com vencimento em 2 de julho de 2012 e 9.200 contratos para 1º de agosto de 2012, segundo o BC. A operação, que equivale à venda de dólares no mercado futuro, teve volume financeiro de 1,014 bilhão de dólares, acrescentou o BC.

A última vez em que o BC havia atuado por meio de leilão de swap foi na terça-feira. Com isso, o movimento da moeda norte-americana descolou da observada no exterior -às 18h19 (horário de Brasília), o dólar registrava alta de 0,36 frente ao euro e de 0,47 por cento diante de uma cesta de divisas .

Nesta sexta-feira, o BC também divulgou o conteúdo da ata da última reunião do Copom. O documento continuou deixando em aberto a possibilidade de mais cortes da Selic, com a projeção para a inflação no cenário de referência e de mercado sendo reduzida.

Com a ata, e o cenário externo ainda preocupante, os contratos de juros futuros operaram com fortes quedas nesta sexta-feira.

Segundo profissionais do mercado, a curva de juros continua apontando para outro corte de 0,50 ponto percentual da Selic na reunião de julho do Copom, mas agora há mais apostas em uma redução de 0,25 ponto percentual da taxa na reunião de agosto.

No exterior, as bolsas norte-americanas descolaram e encerraram a semana com ganhos, ao contrário dos principais mercados europeus. No Brasil, o Ibovespa acompanhou a trajetória vista em Wall Street e também encerrou no azul, em um pregão morno e com fraco volume financeiro.

Tanto nos EUA como no Brasil o movimento de alta nos mercados acionários foi influenciado pela expectativa de que a Espanha peça auxílio a seu setor bancário em dificuldades, neste fim de semana.

Entre os indicadores internacionais de impacto, o Departamento do Comércio norte-americano informou nesta sexta-feira que os estoques no atacado subiram mais que o esperado em abril, para um recorde de 483,5 bilhões de dólares, depois de um ganho não revisado de 0,3 por cento em março.

O órgão também informou que o déficit comercial dos EUA diminuiu em abril, para 50,1 bilhões de dólares, na medida em que serviços e as importações de bens recuaram 1,7 por cento, para 233 bilhões de dólares.

No fim da tarde o presidente norte-americano, Barack Obama, ainda afirmou que mais ações são necessárias para fomentar o crescimento do país e reforçou que “está absolutamente claro que a economia não está indo bem.”

AGENDA

A agenda doméstica de indicadores para segunda-feira prevê a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) referente à primeira quadrissemana de junho e da primeira prévia do mês do Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), ambos pela Fundação Getulio Vargas (FGV), além do relatório Focus e da balança comercial semanal.

No exterior, está previsto o anúncio de dados sobre a produção industrial da França relativa a abril.

Veja como ficaram os principais mercados financeiros nesta sexta-feira:

CÂMBIO

O dólar fechou a 2,0241 reais, em queda de 0,14 por cento frente ao fechamento anterior.

BOVESPA

O Ibovespa subiu 0,51 por cento, para 54.429 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 5,4 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS

O índice dos principais ADRs brasileiros caiu 1,37 por cento, a 26.699 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

No call das 16h, o DI janeiro de 2014 estava em 8,140 por cento ao ano, ante 8,280 por cento no ajuste anterior.

EURO

A moeda comum europeia era cotada a 1,2516 dólar, ante 1,2560 dólar no fechamento anterior nas operações norte-americanas.

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, caía para 128,563 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 1,723 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS

O risco Brasil seguia estável, aos 222 pontos-básicos. O EMBI+ cedia 1 ponto, para 385 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,75 por cento, a 12.554 pontos, o S&P 500 registrou valorização de 0,81 por cento, a 1.325 pontos, e o Nasdaq ganhou 0,97 por cento, aos 2.858 pontos.

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo mais curto caiu 0,72 dólar, ou 0,85 por cento, a 84,10 dólares por barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia, oferecendo rendimento de 1,6319 por cento, frente a 1,644 por cento no fechamento anterior.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código ).(Por Frederico Rosas; Edição de Danielle Fonseca)