Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

PANORAMA2-Mercados têm dia de otimismo, bolsas sobem e dólar cai

Por Da Redação - 3 jan 2012, 17h40

SÃO PAULO, 3 Jan (Reuters) – Sustentados por importantes e animadores dados econômicos no exterior, os mercados tiveram uma terça-feira de fortes ganhos nas bolsas e de queda do dólar. No Brasil, o otimismo refletiu igualmente, com os DIs também se ajustando às esperanças de uma melhora na atividade global.

Esse apetite por risco foi alimentado por uma série de dados mostrando força em algumas das principais economias mundiais. O setor manufatureiro dos Estados Unidos teve em dezembro a alta mais forte em seis meses, ao mesmo tempo em que os gastos com construção se aproximaram em novembro da máxima em um ano e meio.

Além disso, o desemprego na Alemanha atingiu no mês passado seu ponto mais baixo desde a reunificação do país, há duas décadas, enquanto o setor manufatureiro chinês registrou crescimento em dezembro .

No Brasil, a agenda econômica só não foi vazia nesta terça-feira porque o Tesouro Nacional anunciou a emissão de bônus no exterior com vencimento em 2021. O valor inicial da emissão externa, segundo uma fonte familiarizada com a operação informou à Reuters, era de em torno de 500 milhões de dólares. A cifra, no entanto, foi elevada a 750 milhões de dólares, segundo o IFR, serviço de informações financeiras da Reuters.

Publicidade

Diante desse cenário, o dólar acabou fechando no Brasil com a maior queda percentual em mais de dois meses: 2,01 por cento. O mercado futuro de juros também se movimentou, com ajustes para cima diante das melhores perspectivas de crescimento econômico.

Na Bovespa, os investidores também tiraram o dia para comprar ações, levando o Ibovespa a fechar com ganhos de mais de 2 por cento.

Nesta quarta-feira, a agenda de indicadores no Brasil volta a ficar recheada. Entre outros, o mercado conhecerá os dados sobre o fluxo cambial fechado do ano passado, que até a quarta semana de dezembro era positivo em pouco mais de 65,1 bilhões de dólares no acumulado de 2011.

Mantida essa tendência, o ano passado deverá ser o segundo melhor ano da série histórica do Banco Central (BC), atrás apenas de 2007, quando houve entradas líquidas de 87,454 bilhões de dólares.

Publicidade

Veja como ficaram os principais mercados nesta terça-feira:

CÂMBIO

O dólar fechou a 1,8318 real, em baixa de 2,01 por cento frente ao fechamento anterior.

BOVESPA

Publicidade

O Ibovespa subiu 2,48 por cento, para 59.264 pontos. O volume olsa foi de 6,39 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS

Às 18h25 (horário de Brasília), o índice dos principais ADRs brasileiros subia 3,61 por cento, a 30.345 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Publicidade

No call das 16h, o DI janeiro de 2013 estava 10,040 por cento ao ano ante 10,020 por cento no ajuste anterior.

EURO

A moeda comum europeia era cotada a 1,3056 dólar, ante 1,2928 dólar no fechamento anterior.

GLOBAL 40

Publicidade

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 132,750 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 1,63 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS

O risco Brasil caía 8 pontos, para 215 pontos-básicos. O EMBI+ recuava 10 pontos, a 366 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

Publicidade

O índice Dow Jones caía 1,64 a por cento, a 12.417 pontos, o S&P 500 tinha alta de 1,67 por cento, a 1.278 pontos, e o Nasdaq ganhava 1,72 por cento, aos 2.650 pontos.

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato mais curto de petróleo fechou com alta de 4,18 por cento, a 102,96 dólares o barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

Publicidade

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, caía, oferecendo rendimento de 1,9579 por cento ante 1,876 por cento no fechamento anterior.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código )(Por Patrícia Duarte e José de Castro; Edição de Adriana Garcia)

Publicidade