Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

PANORAMA2-Mercados se acautelam com euro; BC faz swap cambial

Por Da Redação 5 jun 2012, 13h50

SÃO PAULO, 5 Jun (Reuters) – As bolsas internacionais sobem ou seguem estáveis nesta terça-feira, em meio a expectativas de que possam ser adotadas medidas para combater a crise na zona do euro, apesar de reunião entre ministros de Finanças e presidentes de bancos centrais dos países mais ricos não ter resultado em ações concretas.

No mercado doméstico, o Banco Central voltou a atuar no mercado de câmbio por meio de um leilão de swap cambial tradicional logo pela manhã, o que fez o dólar, que estava em alta ante o real, passar a operar em queda de mais de 1 por cento.

Segundo o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, os ministros das Finanças do G7, grupo que reúne as sete economias mais industrializadas, discutiram avanços na direção de uma união financeira e fiscal na Europa.

As preocupações com a Espanha, no entanto, se mantêm. O ministro do Tesouro do país, Cristóbal Montoro, disse nesta terça-feira que os altos custos de empréstimos espanhóis significam que o país está efetivamente fora do mercado de títulos e a União Europeia (UE) deveria ajudar Madri a recapitalizar seus bancos endividados.

O país vai testar o mercado na quinta-feira, no lançamento de até 2 bilhões de euros (2,5 bilhões de dólares) em títulos de médio e longo prazos em um leilão, o que deixou analistas perplexos com o momento das declarações de Montoro.

Indicadores ainda trouxeram notícias negativas à zona do euro, com queda maior do que o esperado das vendas no varejo em abril. O recuo foi de 1,0 por cento no mês ante março, informou nesta terça-feira o escritório de estatísticas da UE, Eurostat, recuando 2,5 por cento na base anual.

Já nos EUA, um indicador do setor de serviços veio positivo. O Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM, na sigla em inglês) informou que seu índice de serviços subiu para 53,7 ante 53,5 em abril, ficando um pouco acima das previsões dos analistas, que esperavam estabilidade.

Uma leitura acima de 50 indica expansão no setor.

Com isso, segundo dados preliminares, o índice Euro STOXX 50subiu 0,38 por cento, para 2.086 pontos. Já o índice FTSEUROFIRST 300, que reúne as principais bolsas europeias, avançou 0,36 por cento, aos 953 pontos.

No mercado de divisas, às 13h17 (horário de Brasília), o euro caía 0,54 por cento ante o dólar. Enquanto isso, a moeda norte-americana se valorizava 0,44 por ante uma cesta de divisas.

No mercado doméstico, o movimento da divisa norte-americana ante o real descolava do exterior em função de um leilão de swap cambial tradicional feito pelo BC logo de manhã. Com o BC voltando a atuar, o dólar passou a cair mais de 1 por cento.

Desta vez, a autoridade monetária vendeu 20.300 contratos, ou 50,75 por cento, da oferta de até 40 mil contratos de swap cambial.

Ainda no Brasil, a Bovespa acompanhava as bolsas nos Estados Unidos e tinha leve alta, enquanto a maioria dos contratos de juros futuros caía, tendo uma correção técnica após as altas registradas na véspera.

Continua ainda a expectativa de que o governo possa anunciar mais medidas para estimular investimentos, sendo que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) já anunciou nesta terça-feira a redução de custos de financiamento para empresas e ampliou o programa de capital de giro Progeren.

Segundo o banco de fomento, serão 14 bilhões de reais disponíveis dentro do Progeren até dezembro. O juro para grandes empresas que tomarem recursos pelo programa foi reduzido de 10 por cento para 8 por cento ao ano.

Veja como estavam os principais mercados financeiros às 13h44 (Brasília) desta terça-feira:

CÂMBIO

O dólar era cotado a 2,0278 reais, em queda de 1,18 por cento frente ao fechamento anterior.

Continua após a publicidade

BOVESPA

O Ibovespa subia 0,13 por cento, para 53.484 pontos. O volume financeiro na bolsa era de 2,2 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS

O índice dos principais ADRs brasileiros subia 0,94 por cento, a 26.278 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

O DI janeiro de 2014 estava em 8,300 por cento ao ano, ante 8,390 por cento no ajuste anterior.

EURO

A moeda comum europeia era cotada a 1,2445 dólar, ante 1,2495 dólar no fechamento anterior nas operações norte-americanas.

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 129,938 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 1,653 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS

O risco Brasil caía 5 pontos, para 239 pontos-básicos. O EMBI+ cedia 11 pontos, a 411 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones subia 0,08 por cento, a 12.111 pontos, o S&P 500 tinha alta de 0,29 por cento, a 1.281 pontos, e o Nasdaq ganhava 0,22 por cento, aos 2.766 pontos.

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo mais curto registrava baixa de 0,01 dólar, ou 0,01 por cento, a 83,97 dólares por barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, caía, oferecendo rendimento de 1,5441 por cento, frente a 1,524 por cento no fechamento anterior.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código ).(Por Danielle Fonseca; Edição de Frederico Rosas)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês