Clique e assine com até 92% de desconto

PANORAMA2-Confiança do consumidor nos EUA alimenta otimismo

Por Da Redação 27 dez 2011, 17h46

SÃO PAULO, 27 Dez (Reuters) – A volta dos mercados norte-americanos após o feriado transcorreu com pouca volatilidade nesta terça-feira, com as bolsas em alta em um dia de pouco volume após dados reiterarem a noção de que a economia dos Estados Unidos se recupera gradualmente.

No Brasil, os juros futuros caíram com ajustes após as altas recentes, e o dólar teve mais um dia de marasmo.

A confiança do consumidor dos Estados Unidos subiu para o maior nível dos últimos oito meses em dezembro, a 64,5 em dezembro, contra leitura revisada de 55,2 em novembro, de acordo com o índice do Conference Board. Economistas ouvidos pela Reuters previam resultado de 58,3 para este mês.

Antes desse indicador, outros dados –como o número de pedidos de auxílio-desemprego– já mostraram ao longo de dezembro que a economia norte-americana melhora aos poucos.

Pouco antes do fechamento, as bolsas norte-americanas tinham alta de cerca de 0,2 por cento. O Ibovespa, também com volume abaixo da média, subiu 0,58 por cento.

No mercado de commodities, o petróleo teve uma sessão mais movimentada após a ameaça do Irã de fechar o estratégico estreito de Ormuz caso suas exportações de petróleo sofram sanções de países ocidentais. Nos Estados Unidos, o barril voltou a ficar acima de 100 dólares.

A quarta-feira promete ser mais um dia de fraco movimento às vésperas da virada do ano. O destaque da agenda é a divulgação dos dados fiscais do Brasil, com previsão de superávit primário de 7 bilhões de reais de acordo com a mediana das estimativas de analistas consultados pela Reuters.

Veja como ficaram os principais mercados nesta terça-feira:

CÂMBIO

O dólar fechou a 1,8600 real, em alta de 0,06 por cento frente ao fechamento anterior.

BOVESPA

O Ibovespa subiu 0,58 por cento, para 58.005 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 3,3 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS

Às 18h32, o índice dos principais ADRs brasileiros subia 0,28 por cento, a 29.601 pontos.

Continua após a publicidade

JUROS <0#2DIJ:>

No call das 16h, o DI janeiro de 2013 caía a 10,100 por cento ao ano ante 10,180 por cento no ajuste anterior.

EURO

A moeda comum europeia era cotada a 1,3069 dólar, ante 1,3058 dólar no fechamento anterior.

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 132,250 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 1,785 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS

O risco Brasil caía 1 ponto, para 209 pontos-básicos. O EMBI+ subia 1 ponto, a 364 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones subia 0,14 por cento, a 12.311 pontos, o S&P 500 tinha alta de 0,15 por cento, a 1.267 pontos, e o Nasdaq registrava variação positiva de 0,41 por cento, aos 2.629 pontos.

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo mais curto subiu 1,66 dólar, ou 1,67 por cento, a 101,34 dólares por barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia, oferecendo rendimento de 2,0087 por cento ante 2,021 por cento no fechamento anterior.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código )(Reportagem de Silvio Cascione; Edição de Eduardo Simões)

Continua após a publicidade
Publicidade