Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PANORAMA2-Cautelosos, mercados miram UE; BC faz novo swap

SÃO PAULO, 24 Mai (Reuters) – O cenário externo inspira cautela, com o encontro de líderes da União Europeia (UE) sem trazer medidas concretas e novos indicadores negativos na região. No entanto, investidores veem oportunidades de compra e seguem na expectativa de que uma solução possa aliviar a tensão.

No cenário doméstico, o destaque é a atuação do Banco Central, que realizou mais um leilão de swap cambial, refletido em uma queda momentânea do dólar ante o real, com a divisa norte-americana recuperando as perdas e operando perto da estabilidade pouco depois. O Ibovespa recua.

Na véspera, depois de quase seis horas de diálogo, líderes da UE disseram estar comprometidos com a permanência da Grécia na zona do euro, mas que o país tem de fazer a sua parte no acordo, um compromisso que custará caro para os gregos.

Para piorar, o PMI (índice de gerente de compras) composto da zona do euro, uma combinação dos índices dos setores manufatureiro e de serviços vista como um guia de crescimento, caiu para 45,9 neste mês, ante 46,7 em abril, registrando a menor leitura desde junho de 2009.

O indicador de confiança do empresariado na Alemanha também recuou mais do que o esperado em maio, para 106,9. Analistas ouvidos pela Reuters previam que o índice caísse a 109,4.

Ainda na Alemanha foi divulgado que a economia do país cresceu 0,5 por cento no primeiro trimestre devido a uma recuperação das exportações. No entanto, um sinal de alerta é dado com relação à potencial vulnerabilidade de Berlim a mais problemas na zona do euro.

Nos Estados Unidos, os pedidos iniciais de auxílio-desemprego caíram em 2 mil, para 370 mil, de acordo com dados ajustados sazonalmente. O número da semana anterior foi revisado para 372 mil ante os 370 mil previamente reportados.

Também nos EUA foram divulgados novos pedidos de bens duráveis, que vieram melhores que o esperado, embora não tenham sido suficientes para garantir uma melhora das bolsas. Os pedidos subiram 0,2 por cento no mês passado, depois de uma queda revisada de 3,7 por cento em março.

Apesar de indicadores negativos, as bolsas europeias subiram, com investidores aproveitando para comprar ações consideradas baratas. O FTSEurofirst, índice que reúne as principais ações do continente, avançou 1,09 por cento, a 982 pontos.

Entre as moedas, com o pano de fundo ainda de cautela nos mercados, o euro era cotado a 1,2547 dólar às 13h59 (horário de Brasília), com queda de 0,34 por cento. Enquanto isso, o índice DXY, que mede o valor do dólar ante uma cesta com as principais divisas globais, subia 0,19 por cento.

No quadro doméstico, o BC fez um novo leilão de swap cambial tradicional nesta quarta-feira, ofertando até 40 mil contratos e fazendo o dólar a cair ante o real. No entanto, a moeda voltou a reduzir as perdas e opera próximo da estabilidade.

A Bovespa, por sua vez, acompanha a queda das bolsas norte-americanas, mas com perdas maiores, quase de 2 por cento.

O BC ainda informou que o país registrou em abril déficit em transações correntes de 5,403 bilhões de dólares, valor 50 por cento maior do que o saldo negativo de 3,598 bilhões de dólares visto um ano antes.

O déficit não foi coberto totalmente pelo Investimento Estrangeiro Direto (IED) que, no mês passado, ficou em 4,669 bilhões de dólares.

Enquanto isso, os contratos de juros futuros sobem, afetados pelo exterior um pouco melhor do que na véspera e por dados da taxa de desemprego no Brasil, que vieram melhores que o esperado, ao caírem para 6,0 por cento em abril, ante 6,2 por cento em março.

Veja como estavam os principais mercados financeiros às 14h06 (Brasília) desta quinta-feira:

CÂMBIO

O dólar era cotado a 2,0370 real, em queda de 0,10 por cento frente ao fechamento anterior.

BOVESPA

O Ibovespa caía 1,67 por cento, para 53.706 pontos. O volume financeiro na bolsa era de 4,0 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS

O índice dos principais ADRs brasileiros caía 1,02 por cento, a 26.185 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

O DI janeiro de 2014 estava em 8,560 por cento ao ano, ante 8,340 por cento no ajuste anterior.

EURO

A moeda comum europeia era cotada a 1,2555 dólar, ante 1,2584 dólar no fechamento anterior nas operações norte-americanas.

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, caía para 129,563 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 1,536 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS

O risco Brasil caía 9 pontos, para 225 pontos-básicos. O EMBI+ cedia 6 pontos, a 382 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones caía 0,09 por cento, a 12.484 pontos, o S&P 500 tinha baixa de 0,11 por cento, a 1.317 pontos, e o Nasdaq perdia 0,40 por cento, aos 2.838 pontos.

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo mais curto registrava alta de 1,24 dólar, ou 1,37 por cento, a 91,13 dólares por barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, caía, oferecendo rendimento de 1,7689 por cento, frente a 1,733 por cento no fechamento anterior.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código ).(Por Danielle Fonseca; Edição de Frederico Rosas)