Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

PANORAMA2-Cautela com Europa persiste na véspera de cúpula da UE

Por Da Redação - 25 out 2011, 12h40

SÃO PAULO, 25 de outubro (Reuters) – As preocupações com a Europa seguiam ditando o rumo dos mercados financeiros nesta terça-feira, com notícias de cancelamento de uma reunião entre ministros de Finanças do bloco e declarações da chanceler alemã, Angela Merkel, alimentando a cautela entre investidores.

Após um bom humor inicial, as ações, as commodities e outros ativos considerados de risco passaram a cair. Investidores digeriam a informação de que um encontro entre ministros de Finanças do bloco europeu, que também ocorreria na quarta-feira, foi cancelado.

Um porta-voz do bloco confirmou o cancelamento, dizendo que a decisão foi tomada porque os detalhes de questões a serem discutidas não haviam sido finalizados, segundo fontes.

O encontro entre os líderes da zona do euro está mantido, mas autoridades do bloco disseram à Reuters que não serão oferecidos muitos números para o desenvolvimento de respostas à crise de dívida.

Publicidade

Mais cedo, o humor dos mercados já havia sido azedado após a chanceler alemã dizer que Berlim se opõe a uma frase no esboço da conclusão da cúpula da União Europeia (UE) que propõe que o Banco Central Europeu (BCE) continue comprando bônus no mercado secundário.

A Bovespa caía, enquanto o dólar operava em alta ante o real, após registrar queda de 1 por cento pela manhã. No mercado de DI, as taxas futuras oscilavam perto da estabilidade, num dia fraco de indicadores macroeconômicos.

Da pauta doméstica, o Banco Central informou que o déficit em transações correntes em setembro ficou em 2,2 bilhões de dólares, abaixo do esperado pelo mercado e também inferior ao déficit registrado há um ano.

O Investimento Estrangeiro Direto (IED) no país somou 6,326 bilhões de dólares no mês passado, contra 5,404 bilhões de dólares em setembro de 2010.

Publicidade

O BC projeta que o déficit em transações correntes ficará em 4,8 bilhões de dólares em outubro. A autoridade estima ainda que o IED somará 4 bilhões de dólares neste mês, sendo que, até o dia 21, já estava em 3,4 bilhões de dólares.

Na mesma ocasião, o BC divulgou que o fluxo cambial em outubro estava positivo em 3,867 bilhões de dólares, também até o dia 21. Até essa data, os bancos mantinham posição comprada na moeda norte-americana de 4,833 bilhões de dólares no mercado à vista.

Por fim, a Previdência Social registrou déficit de 9,350 bilhões de reais em setembro, queda de 5,2 por cento frente ao saldo negativo registrado no mesmo mês do ano passado, informou o Ministério da Previdência Social.

Veja a variação dos principais mercados às 13h34 desta terça-feira:

Publicidade

CÂMBIO

O dólar era cotado a 1,7645 real, em alta de 0,58 por cento frente ao fechamento anterior.

BOVESPA O Ibovespa caía 1,37 por cento, para 56.113 pontos. O volume financeiro na bolsa era de 2,50 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS O índice dos principais ADRs brasileiros recuava 2,35 por cento, a 29.680 pontos.

Publicidade

JUROS <0#2DIJ:>

O DI janeiro de 2013 apontava 10,400 por cento ao ano, ante 10,410 por cento no ajuste anterior.

EURO

A moeda comum europeia era cotada a 1,3907 dólar, ante 1,3925 dólar no fechamento anterior nas operações norte-americanas.

Publicidade

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia a 131,188 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 2,372 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

O risco Brasil subia 2 pontos, para 228 pontos-básicos. O EMBI+ avançava 1 ponto, a 362 pontos-básicos.

Publicidade

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones recuava 0,91 por cento, a 11.804 pontos; o S&P 500 perdia 1,16 por cento, a 1.239 pontos, e o Nasdaq perdia 1,20 por cento, a 2.667 pontos.

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo de vencimento mais próximo subia 2,49 dólares, ou 2,77 por cento, a 93,82 dólares por barril.

Publicidade

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia, oferecendo rendimento de 2,1657por cento ante 2,234 por cento no fechamento anterior.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código )

(Por José de Castro; Edição de Patrícia Duarte)

Publicidade