Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

PANORAMA1-Votação na Europa é foco e abre espaço para realização

Por Da Redação 11 out 2011, 08h16

SÃO PAULO, 11 de outubro (Reuters) – O quadro era misto nas praças acionárias globais nesta terça-feira. A expectativa para a votação no parlamento eslovaco sobre a ampliação do fundo de resgate europeu servia como argumento para realização de lucros nas bolsas da Europa, após quatro sessões seguidas de ganhos, enquanto Wall Street também sinalizava cautela antes do início da temporada norte-americana de balanços, com os números da Alcoa após o fechamento. A safra de resultados ajudará a mostrar a extensão dos danos do desaquecimento global no crescimento econômico.

A primeira-ministra da Eslováquia, Iveta Radicova, afirmou que uma votação sobre a expansão do mecanismo de resgate da zona do euro também seria um voto de confiança em seu gabinete. O país é o último dos 17 membros do bloco que ainda precisa votar o acordo fechado pelos líderes da região em 21 de julho e que elevou o aumento do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (EFSF).

de e Solidariedade, que faz parte da coalização do governo eslovaco, disse que iria abster da votação para ratificar um aumento no fundo de resgate da zona do euro, o que obriga o governo a voltar-se para a oposição para conseguir a aprovação plena do pacote. O partido líder da oposição Smer, por sua vez, disse que estava pronto para começar as discussões para buscar a aprovação se a primeira votação na coalização falhasse.

Também corroborava com uma correçãocomentário de Jean-Claude Trichet, presidente do Conselho de Risco Sistêmico Europeu e do Banco Central Europeu (BCE), de que a crise de dívida da zona do euro tornou-se sistêmica e os riscos para a economia estão aumentando rapidamente, com os bancos da região na zona de perigo.

Às 7h45, o índice europeu FTSEurofirst 300 cedia 0,76 por cento, enquanto o futuro do S&P 500 caía 0,62 por cento — 7,40 pontos. O MSCI < .MIWD00000PUS > para ações globais oscilava ao redor da estabilidade, com variação negativa de 0,04%, enquanto para emergentes < .MSCIEF> ganhava 0,77 por cento.

O MSCI da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão < .MIAPJ0000PUS > aumentava 1,47 por cento. Em Tóquio, o Nikkei encerrou com alta de 1,95 por cento. O índice da bolsa de Xangai aumentou 0,16 por cento, tendo reduzido os ganhos no final, após as ações dos quatro grandes bancos da China subirem mais cedo com a notícia de que o braço nacional do fundo soberano do país comprou suas ações no mercado secundário na segunda-feira.

Entre as moedas, o euro também corrigia e recuava 0,38 por cento, a 1,3588 dólar, o que influenciava a elevação de 0,45 por cento do índice DXY, que mede o valor do dólar ante uma cesta com as principais divisas globais. Ante a moeda japonesa , o dólar recuava apenas 0,05 por cento, a 76,65 ienes.

Nesse contexto, o petróleo do tipo Brent era cotado a 108,25 dólares em Londres, em baixa de 0,64 por cento, enquanto, nas operações eletrônicas em Nova York , o barril era transacionado a 84,87 dólares, com recuo de 0,63 por cento. Ainda na City londrina, o cobre < CMCU3 >era negociado em baixa de 3 por cento.

No Brasil, o desempenho do varejo estará no foco com a pesquisa mensal do comércio do IBGE de agosto nesta véspera de feriado nacional. Projeções apuradas pela Reuters apontam leve queda de 0,05 por cento nas vendas na comparação mensal, após elevação verificada em julho. Em relação ao mesmo período do ano passado, a expectativa é de alta de 7 por cento.

Mais cedo, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) informou que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de São Paulo subiu 0,23 por cento na primeira quadrissemana de outubro, ante alta de 0,25% no mês de setembro.Veja o fechamento dos principais mercados na segunda-feira:

CÂMBIO

O dólar terminou a 1,7640 real, em queda de 0,40 por cento frente ao fechamento anterior.

BOVESPAO Ibovespa subiu 3,96 por cento, para 53.273 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 4,97 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROSO índice dos principais ADRs brasileiros avançou 4,03 por cento, a 28.368 pontos.

Continua após a publicidade

JUROS <0#2DIJ:>

No call das 16h, o DI janeiro de 2013 apontava 10,510 por cento ao ano, ante 10,430 por cento no ajuste anterior.

EURO

A moeda comum europeia foi cotada a 1,3639 dólar, ante 1,3375 dólar no fechamento anterior nas operações norte-americanas.

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia a 131,438 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 2,390 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

O risco Brasil perdia 2 pontos, para 255 pontos-básicos. O EMBI+ cedia 4 pontos, a 399 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones subiu 2,97 por cento, a 11.433 pontos; o S&P 500 avançou 3,41 por cento, a 1.194 pontos, e o Nasdaq teve alta de 3,50 por cento, a 2.566 pontos.

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo de vencimento mais próximo apurou ganho de 2,43 dólares, ou 2,93 por cento, a 85,41 dólares por barril.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código )

(Por Paula Arend Laier)

Continua após a publicidade
Publicidade