Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PANORAMA1-Mercados mostram recuperação; foco em Europa segue

SÃO PAULO, 24 Mai (Reuters) – A quinta-feira no Brasil começava sob influência de uma tentativa de recuperação nos mercados internacionais. A falta de ações práticas no encontro de líderes da União Europeia na véspera, dados negativos do setor manufatureiro da zona do euro e a piora na confiança empresarial na Alemanha ainda enfraqueciam o euro, mas índices acionários da região e de outras praças registravam ganhos.

Depois de quase seis horas de diálogo durante um jantar informal na véspera, líderes da União Europeia disseram que estavam comprometidos com a permanência da Grécia na zona do euro, mas que o país tem de manter a sua parte no acordo, um compromisso que custará caro para os gregos.

Da pauta do dia, a preliminar de maio do índice Markit sobre a atividade manufatureira da zona do euro ficou em 45, menor patamar desde junho de 2009 e também abaixo dos 45,9 apurados em abril e dos 46 esperados por analistas. A preliminar do setor de serviços passou de 46,9 para 46,5, mínima em sete meses e também inferior às expectativas (46,9). O índice composto passou de 46,7 para 45,9, mínima desde junho de 2009.

Ainda,oinstituto IFO informou que seu índice de confiança do empresariado na Alemanha, feito com cerca de 7 mil empresas, caiu mais do que o esperado em maio, para 106,9, ante 109,9 em abril. Analistas ouvidos pela Reuters previam que o índice recuasse a 109,4.

Ainda assim, com investidores aproveitando a busca por barganhas, o europeu FTSEurofirst 300 subia 1,29 por cento às 7h52. O futuro do norte-americano S&P 500ganhava 0,55 por cento — 7,30 pontos. O MSCI para ações globaisaumentava 0,39 por cento e para emergentes , 0,74 por cento. O MSCI de ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão registrava acréscimo de 0,13 por cento.

Em Tóquio, o Nikkei fechou em alta de 0,08%. O índice da bolsa de Xangai terminou com queda de 0,53 por cento. A preliminar de maio do índice dos gerentes de compras (PMI) da China sobre a atividade manufatureira do país calculado pelo HSBC ficou em 48,7, registrando o sétimo mês seguido de contração do setor e uma desaceleração ante os 49,3 na divulgação final de abril.

Entre as moedas, o euro era cotado a 1,2582 dólares, ante 1,2584 dólares na véspera. O índice DXY, que mede o valor do dólar ante uma cesta com as principais divisas globais, cedia 0,08 por cento. Em relação ao iene, o dólar saía a 79,35 ienes, ante 79,44 ienes na última sessão.

No caso das commodities, o petróleo do tipo Brentapreciava-se 0,81 por cento em Londres, a 106,42 dólares, enquanto o barril negociado nas operações eletrônicas em Nova York subia 1,21 por cento, a 90,99 dólares.

Veja a agenda com os principais indicadores desta quinta-feira

Veja como ficaram os principais mercados financeiros nesta quarta-feira:

CÂMBIO

O dólar fechou a 2,0391 reais, em queda de 1,99 por cento frente ao fechamento anterior.

BOVESPA

O Ibovespa caiu 0,76 por cento, 54.619 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 8,5 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS

O índice dos principais ADRs brasileiros caiu 0,21 por cento, a 26.455 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

No call das 16h, o DI janeiro de 2014 estava em 8,340 por cento ao ano, ante 8,440 por cento no ajuste anterior.

EURO

Às 19h01 (Brasília), a moeda comum europeia era cotada a 1,2589 dólar, ante 1,2682 dólar no fechamento anterior nas operações norte-americanas.

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, caía para 129,750 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 1,492 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS

O risco Brasil subia 5 pontos, para 228 pontos-básicos. O EMBI+ avançava 7 pontos, a 382 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

Praticamente estáveis, o índice Dow Jones fechou em queda de 0,05 por cento, a 12.496 pontos, o S&P 500registrou valorização de 0,17 por cento, a 1.318 pontos, e o Nasdaq ganhou 0,39 por cento, aos 2.850 pontos.

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo mais curto caiu 1,95 dólar, ou 2,12 por cento, a 89,90 dólares por barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia, oferecendo rendimento de 1,7329 por cento, frente a 1,777 por cento no fechamento anterior.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código ).

(Por Paula Laier; Edição de Camila Moreira)