Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

PANORAMA1-Mercados mostram indefinição no exterior

Por Da Redação
28 mar 2012, 07h54

SÃO PAULO, 28 Mar (Reuters) – A quarta-feira no Brasil começava sem uma tendência clara das praças financeiras internacionais, onde uma queda acima do esperado na economia britânica e dados de crédito na zona do euro se destacavam no noticiário, em uma sessão que prevê poucas divulgações nos Estados Unidos.

O Produto Interno Bruto (PIB) da Grã-Bretanha contraiu 0,3 por cento no quarto trimestre de 2011 frente ao trimestre anterior, a maior queda desde os últimos três meses de 2010, de acordo com dados revisados da Agência Nacional de Estatísticas do país. Inicialmente, a agência divulgou um declínio de 0,2 por cento. Na comparação mensal, o avanço entre outubro e dezembro de 2011 foi revisado de 0,7 por cento para 0,5 por cento. Analistas previam estabilidade das informações preliminares.

Também o Banco Central Europeu (BCE) informou que o crescimento anual da oferta monetária M3 -uma medida do dinheiro prontamente disponível para gastar que o BCE vê como um indicador antecedente para a inflação- na zona do euro alcançou 2,8 por cento em fevereiro, acima da expectativa de 2,4 por cento de analistas. A taxa anual de expansão dos empréstimos para o setor privado na zona do euro ficou em 0,7 por cento, abaixo da previsão de 1,2 por cento.

Nos EUA, a agenda reserva apenas as encomendas de bens duráveis de fevereiro. Projeções apuradas pela Reuters apontam aumento de 3 por cento. Em janeiro, houve queda de 3,7 por cento.

Às 7h46, o índice europeu FTSEurofirst 300 cedia 0,13 por cento e o futuro do norte-americano S&P 500subia 0,19 por cento – 2,70 pontoS. O MSCI para ações globaisperdia 0,16 por cento e para emergentes , 0,64 por cento. O MSCI de ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão verificava decréscimo de 0,31 por cento. Em Tóquio, o Nikkei fechou em baixa de 0,71 por cento. O índice da bolsa de Xangaiterminou com declínio de 2,65 por cento.

Entre as moedas, o euro era cotado a 1,3347 dólar, em alta de 0,23 por cento, enquanto o índice DXY, que mede o valor do dólar ante uma cesta com as principais divisas globais, oscilava ao redor da estabilidade. Em relação ao iene, o dólar caía 0,2 por cento, a 83,02 ienes.

Continua após a publicidade

No caso das commodities, o petróleo do tipo Brentrecuava 0,9 por cento em Londres, a 124,41 dólares, enquanto o barril negociado nas operações eletrônicas em Nova Yorkdeclinava 0,91 por cento, a 106,35 dólares.

Também a pauta brasileira é leve nesta sessão, mas a cena corporativa merece atenção com a agenda de balanços do dia incluindo Cemig, Cesp, Kroton Educacional e SLC Agrícola. A companhia mineira de energia elétrica Cemig, aliás, já divulgou logo cedo que encerrou o quarto trimestre com lucro líquido de 710 milhões de reais, avanço sobre os 670 milhões de reais obtidos um ano antes.

Veja a agenda com os principais indicadores do dia .

Veja como ficaram os principais mercados financeiros nesta terça-feira:

CÂMBIO

Continua após a publicidade

O dólar fechou a 1,8177 real, em leve alta de 0,08 por cento frente ao fechamento anterior.

BOVESPA

O Ibovespa caiu 0,97 cento, para 66.037 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 6,48 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS

O índice dos principais ADRs brasileiros caiu 0,65 por cento, a 33.980 pontos.

Continua após a publicidade

JUROS <0#2DIJ:>

No call das 16h, o DI janeiro de 2014 estava em 9,530 por cento ao ano, ante 9,580 por cento no ajuste anterior.

EURO

Às 18h50, a moeda comum europeia era cotada a 1,3319 dólar, ante 1,3317 dólar no fechamento anterior nas operações norte-americanas.

GLOBAL 40

Continua após a publicidade

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, seguia estável em 132,250 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 1,230 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS

O risco Brasil subia 4 pontos, para 177 pontos-básicos. O EMBI+ avançava 3 pontos, a 319 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones fechou em queda de 0,33 por cento, a 13.197 pontos, o S&P 500 registrou desvalorização de 0,28 por cento, a 1.412 pontos, e o Nasdaq perdeu 0,07 por cento, aos 3.120 pontos.

Continua após a publicidade

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo mais curto subiu 0,30 dólar, ou 0,28 por cento, a 107,33 dólares por barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia, oferecendo rendimento de 2,1871 por cento, frente a 2,253 por cento no fechamento anterior.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código )(Por Paula Laier; Edição de Hélio Barboza)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.