Clique e assine a partir de 9,90/mês

PANORAMA1-Grécia ampara mercados; local mira indústria e dado fiscal

Por Da Redação - 31 jan 2012, 07h20

SÃO PAULO, 31 Jan (Reuters) – Expectativas favoráveis sobre a proximidade de um acordo para a necessária reestruturação da dívida grega a fim de evitar um default amparavam o apetite a risco no ambiente financeiro internacional nesta terça-feira, um dia após líderes europeus concordarem com medidas mais rígidas sobre disciplina fiscal.

O primeiro-ministro da Grécia, Lucas Papademos, disse que os negociadores fizeram “progressos significativos” em conversas para chegar a uma solução sobre a reestruturação da dívida do governo grego, com o objetivo de ter um acordo definitivo até o final desta semana.

“Um progresso significativo foi feito em conversas sobre o envolvimento do setor privado”, disse ele a jornalistas após uma reunião com altos funcionários do Banco Central Europeu e da UE.

Às 7h30, o índice europeu FTSEurofirst 300 subia 0,66 por cento. O futuro do S&P 500 avançava 0,46 por cento – 6 pontos – nos Estados Unidos, com dados do setor imobiliário, confiança e atividade manufatureira regional na agenda norte-americana.

O MSCI para ações globais ganhava 0,55 por cento e para emergentes, 1,36 por cento.

O MSCI de ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japãoverificava acréscimo de 1,24 por cento. Em Tóquio, o Nikkei fechou em alta de 0,11 por cento. O índice da bolsa de Xangai terminou com elevação de 0,33 por cento.

Continua após a publicidade

Entre as moedas, o euro apreciava-se 0,43 por cento, a 1,3191 dólar, o que influenciava a queda de 0,41 por cento do índice DXY, que mede o valor do dólar ante uma cesta com as principais divisas globais. Em relação ao iene, o dólar oscilava ao redor da estabilidade, a 76,28 ienes.

No caso das commodities, o petróleo do tipo Brentaumentava 0,75 por cento em Londres, a 111,58 dólares, enquanto o barril negociado nas operações eletrônicas em Nova York subia 1,05 por cento, a 99,82 dólares.

No Brasil, a cena corporativa merece atenção com o resultado do Bradesco, que divulgou lucro recorrente de 2,771 bilhões de reais no quarto trimestre de 2011. [ID: nL2E8CV327]

Também o Santander reportou resultados, sendo que a unidade brasileira encerrou 2011 com lucro líquido de 3,557 bilhões de reais. [ID: nL2E8CV32X]

Mas dados fiscais do setor público consolidado e sobre o desempenho da produção industrial também estarão no foco de investidores do mercado brasileiro.

No caso da indústria, as medianas das projeções apuradas pela Reuters apontam um aumento de 1 por cento em dezembro ante o mês anterior e queda de 0,8 por cento na comparação com o mesmo mês de 2010. Em novembro, houve elevação de 0,3 por cento e baixa de 2,5 por cento, respectivamente.

Continua após a publicidade

Veja a agenda com os principais indicadores desta terça-feira [ID: nL2E8CV32B]

Veja como ficaram os principais mercados financeiros na segunda-feira:

CÂMBIO

O dólar fechou a 1,7494 real, em alta de 0,62 por cento frente ao fechamento anterior.

BOVESPA

O Ibovespa caiu 0,21 por cento, para 62.770 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 6,12 de reais.

Continua após a publicidade

ADRs BRASILEIROS

Às 18h29 (horário de Brasília), o índice dos principais ADRs brasileiros caía 1,03 por cento, a 32.786 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

No call das 16h, o DI janeiro de 2013 estava em 9,510 por cento ao ano, ante 9,610 por cento no ajuste anterior.

EURO

A moeda comum europeia era cotada a 1,3127 dólar, ante 1,3224 dólar no fechamento anterior nas operações norte-americanas.

Continua após a publicidade

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 132,938 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 1,429 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS

O risco Brasil subia 2 pontos, para 221 pontos-básicos. O EMBI+ avançava 4 pontos, a 367 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones caía 0,03 por cento, a 12.656 pontos, o S&P 500 tinha baixa de 0,23 por cento, a 1.313 pontos, e o Nasdaq perdia 0,10 por cento, aos 2.813 pontos.

Continua após a publicidade

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo mais curto fechou em queda de 0,78 dólar, ou 0,78 por cento, a 98,78 dólares por barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia, oferecendo rendimento de 1,8439 por cento, frente a 1,891 por cento no fechamento anterior.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código )(Por Paula Laier; Edição de Vivian Pereira)

Publicidade