Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

PANORAMA1-Alcoa compensa desaceleração em exportações na China

Por Da Redação 10 jan 2012, 08h00

SÃO PAULO, 10 Jan (Reuters) – América do Norte, Europa e Ásia dividiam o noticiário e as atenções nos mercados financeiros globais nesta terça-feira, com o viés positivo prevalecendo.

A abertura da safra de balanços nos Estados Unidos com o resultado da Alcoa na véspera ajudava a melhorar o sentimento de investidores sobre as perspectivas de demanda de commodities, mas a desaceleração no crescimento das exportações e importações chinesas para o menor ritmo em dois anos contrabalançava.

A Alcoa, maior produtora de alumínio dos Estados Unidos, informou nesta segunda-feira que teve prejuízo no quarto trimestre do ano passado, mas deu uma previsão positiva para a demanda de metais em setores como aeroespacial, construção civil e outras indústrias. [ID: nL1E8C9A7S]

Na China, as exportações cresceram 13,4 por cento em termos anuais em dezembro e as importações avançaram 11,8 por cento, ante acréscimos 13,8 por cento e 22,1 por cento em novembro, respectivamente, de acordo com dados da Administração Geral das Alfândegas do país divulgados nesta terça-feira. O superávit foi de 16,5 bilhões de dólares, após ter ficado em 14,5 bilhões de dólares em novembro.

Economistas ouvidos pela Reuters esperavam crescimento de 13,5 por cento nos embarques e de 17 por cento das importaçòes, com superávit comercial de 8,8 bilhões dólares. Em todo o ano de 2011, o saldo comercial ficou positiv em US$ 155 bilhões, ante superávit de US$ 183,1 bilhões em 2010. [ID: nL1E8CA0DK]

Há ainda os resultados dos leilões de dívida soberana na Áustria e Holanda que merecem ser monitorados nesta sessão antes de operações de papéis da Itália e Espanha no final da semana. Dados sobre os depósitos overnight dos bancos comerciais no Banco Central Europeu (BCE) mostraram nova máxima para 481,935 bilhões de euros, ante 463,565 bilhões na véspera.

Ainda no continente europeu, vale citar o comentário de que a Fitch Ratings não espera cortar a nota de crédito triple-A da França este ano, enquanto os países em análise como Itália ou Espanha poderiam ter sua classificação reduzida em um ou dois níveis, feito à Reuters por Ed Parker, chefe de Europa Emergente da Fitch.

Às 7h40, o MSCI para ações globais < .MIWD00000PUS> ganhava 0,75 por cento e para emergentes < .MSCIEF>, 1,33 por cento. O europeu FTSEurofirst 300 subia 1,43 por cento e o futuro do norte-americano S&P 500 avançava 0,82 por cento –10,40 pontos.

O MSCI de ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão < .MIAPJ0000PUS > verificava acréscimo de 1,73 por cento. Em Tóquio, o Nikkei fechou em alta de 0,38 por cento. O índice da bolsa de Xangai terminou com elevação de 2,69 por cento.

Entre as moedas, o euro apreciava-se 0,22 por cento, a 1,2795 dólar. O índice DXY, que mede o valor do dólar ante uma cesta com as principais divisas globais, caía 0,29 por cento. Em relação ao iene, o dólar oscilava ao redor da estabilidade, a 76,79 ienes.

No caso das commodities, o petróleo do tipo Brentaumentava 0,79 por cento em Londres, a 113,34 dólares, enquanto o barril negociado nas operações eletrônicas em Nova Yorksubia 1,41 por cento, a 102,74 dólares. Também na City londrina, o cobre aumentava 1,66 por cento.

Veja a agenda com os principais indicadores desta terça-feira. [ID: nL1E8CA0CQ]

Veja como ficaram os principais mercados nesta segunda-feira:

CÂMBIO

O dólar fechou a 1,8347 real, em queda de 0,88 por cento frente ao fechamento anterior.

BOVESPA

O Ibovespa subiu 0,82 por cento, para 59.082 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 4,65 bilhões de reais.

Continua após a publicidade

ADRs BRASILEIROS

Às 18h16 (horário de Brasília), o índice dos principais ADRs brasileiros subia 1,80 por cento, a 30.333 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

No call das 16h, o DI janeiro de 2013 estava em 10,040 por cento ao ano ante 10,070 por cento no ajuste anterior.

EURO

A moeda comum europeia era cotada a 1,2762 dólar, ante 1,2720 dólar no fechamento anterior.

GLOBAL 40

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, permanecia estável, a 132,250 por cento do valor de face, oferecendo rendimento de 1,716 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS

O risco Brasil caía 2 pontos, para 217 pontos-básicos. O EMBI+ estava estável em 376 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones subiu 0,27 por cento, a 12.392 pontos, o S&P 500 teve alta de 0,23 por cento, a 1.280 pontos, e o Nasdaq registrou ganho de 0,09 por cento, aos 2.676 pontos.

PETRÓLEO

Na Nymex, o contrato de petróleo mais curto recuou 0,25 dólar, ou 0,25 por cento, a 101,31 dólares por barril.

TREASURIES DE 10 ANOS

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, estava estável, oferecendo rendimento de 1,9578 por cento ante 1,958 por cento no fechamento anterior.

(PANORAMA1, PANORAMA2 e PANORAMA3 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código )(Por Paula Laier; Edição de Hélio Barboza)

Continua após a publicidade
Publicidade