Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Otimismo de empresários indica que Alemanha evitará recessão

Por Annika Breidthardt

SÃO PAULO, 25 Jan (Reuters) – O otimismo entre os empresários alemães subiu pelo terceiro mês consecutivo em janeiro, superando expectativas e oferecendo novo sinal de que a maior economia da Europa está se livrando da crise de dívida soberana que afetou o crescimento em outros países do euro.

O centro de estudos Ifo, sediado em Munique, disse nesta quarta-feira que seu índice de ambiente de negócios, baseado em um levantamento mensal com cerca de 7 mil empresas, foi revisado de 107,3 em dezembro para 108,3 em janeiro, seu nível mais alto desde agosto e o maior aumento mensal em 11 meses.

A leitura ficou no topo das expectativas em uma pesquisa da Reuters com 39 economistas cuja mediana das previsões média era de 107,5, e levou o euro à máxima da sessão contra o dólar.

“Alguém disse recessão? O índice Ifo de hoje mostra que a economia alemã só fez uma pausa no final do ano passado e agora ruma novamente à expansão”, disse Carsten Brzeski, economista da ING em Bruxelas.

“O temor amplamente disseminado de que a maior economia da Europa possa agora ser acometida pelo vírus da crise foi aplacado”.

Um subíndice de expectativas, que subiu de 98,6 para 100,9, registrou o maior aumento mensal desde julho de 2010, sinal de que o meio empresarial tem confiança de que o motor da Europa retomará um crescimento saudável no segundo trimestre do ano.

O subíndice do Ifo sobre as condições atuais caiu de 116,7 para 116,3 em dezembro.

Economistas afirmam que o terceiro aumento consecutivo assinala um ponto de inflexão nas perspectivas da Alemanha, com o crescimento se ampliando novamente, o que levou analistas do JP Morgan a esperar um crescimento trimestral de cerca de um por cento no PIB alemão nos três primeiros meses do ano.

O governo alemão prevê que a economia crescerá 0,1 por cento no primeiro trimestre.

“Não há sinais de recessão”, disse Klaus Abberger, economista do Ifo, apontando a crise da dívida da zona do euro como o maior risco para as perspectivas alemãs.

A Alemanha foi o único país da zona do euro a manter sua nota de crédito AAA com perspectiva estável da Standard & Poor’s, depois que a agência de classificação de risco fez um rebaixamento em massa dos países que compartilham a moeda única, neste mês.

(Reportagem adicional de Stephen Brown, Madeline Chambers, Brian Rohan e Gareth Jones)