Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Olimpíada afeta assinaturas da Netflix nos EUA

David Wells, diretor financeiro da provedora de vídeos e séries de TV por streaming, disse esperar um impacto dos Jogos na captação de novos assinantes

Por Da redação 9 ago 2016, 15h29

Com bilhões de telespectadores todas as noites, os Jogos Olímpicos estão desbancando a crescente audiência da Netflix nos Estados Unidos. Isso tem significado um pé no freio no aumento do número de assinaturas no país, de acordo com analistas e com avaliação da própria empresa.

No último mês, durante teleconferência com analistas após a divulgação de seu relatório do segundo trimestre do ano, David Wells, diretor financeiro da provedora de vídeos e séries de TV por streaming, disse esperar um impacto dos Jogos na captação de novos assinantes. “Esperamos que possa ser um significativo – um pequeno, mas ainda significativo – impacto negativo sobre o trimestre.”

Consultado pela CNBC, o analista sênior da eMarketer Paul Verna diz que a empresa está certa quando assume que haverá menos uso de seu serviço durante os Jogos no Rio. Ele disse que outros serviços, incluindo canais de streaming e redes de televisão tradicionais, também passaram por isso. Isso porque, de acordo com Verna, o telespectador quer seu conteúdo esportivo ao vivo e não se importa como ele será obtido.

Em contrapartida, o diretor de estratégia de mídia digital da Strategy Analytics, Michael Goodman, se mostra cético em relação às reivindicações da Netflix de que os Jogos vão prejudicar seu cenário de assinantes. Goodman ressaltou que a provedora não registrou queda de assinantes durante a Copa do Mundo, em meados de 2014, e que a empresa não deve se preocupar com os Jogos Olímpicos, que têm uma duração menor.

Leia também:
Maior anunciante do mundo já acha alcance do Facebook limitado
Novas regras para banda larga põem em risco as maratonas no Netflix

“Eles estão tentando justificar suas baixas taxas de adesão”, disse o especialista, que não parou por aí. “A resposta para mim é simples: especialmente nos Estados Unidos, a empresa está começando a saturar. É um jogo de números, e a empresa está ficando para trás.”

Às 15h (horário de Brasília), as ações da companhia caíam 1,16%, sendo cotadas a 94 dólares.

Continua após a publicidade
Publicidade