Clique e assine com 88% de desconto

Oi vai receber R$ 12 bi com entrada da Portugal Telecom

Para a Oi, sua capitalização é um passo importante para acelerar o acesso a mercados internacionais, com foco nos países emergentes

Por Beatriz Olivon - 26 jan 2011, 14h03

As negociações entre Oi e Portugal Telecom arrastavam-se desde julho de 2010, mas, nesta quarta-feira, as empresas anunciaram a estruturação do negócio. Do ponto de vista financeiro, a operação permitirá à Oi capitalizar-se em até 12 bilhões de reais.

A Portugal Telecom comprou a participação de cerca de 22,4% da Oi por 8,32 bilhões de reais. Para chegar nessa fatia, ela adquiriu 12,1% da controladora TMAR participações e 35% de duas acionistas da TMAR Participações, AG Telecom e La Fonte (ela comprou 35% de cada). A fatia dá direito à PT participar da governança da sociedade.

“Grande parte dos 12 bilhões está comprometido e virá dos sócios atuais e da Portugal Telecom”, disse Pedro Jereissati, vice-presidente do Grupo Jereissati Participações, da La Fonte – que possui 19,4% da Oi, após entrada da PT. “Boa parte desse valor está garantido, acreditamos que a capitalização mínima será muito vantajosa para a companhia”, afirmou em audioconferência.

Essa capitalização vai permitir à Oi ampliar sua capacidade de investimento e de expansão nos mercados de banda larga fixa e móvel, TV por assinatura e serviços convergentes. As empresas acreditam que a parceria acelera os planos de crescimento no mercado doméstico, reduz o nível de endividamento, oferece oportunidades de aplicação de tecnologias e cria a possibilidade de expansão internacional, além da captura de sinergias.

Publicidade

A Oi tem mais de 63 milhões de clientes. Desse total, 21 milhões estão em telefonia fixa, 37,3 milhões em telefonia móvel, 4,4 milhões em banda larga fixa e 280 mil em TV por assinatura. A capitalização da empresa, aliada à PT, é um passo importante para acelerar o acesso a mercados internacionais. Segundo a Oi, o próximo passo de evolução da empresa é o crescimento internacional focado em mercados emergentes.

Operação – Antes de ingressar na Oi, a operadora portuguesa dividia com a Telefônica o controle da Vivo. A Oi, por sua vez, adquiriu 10% da Portugal Telecom, “que tornará a Oi, se não a maior, uma das mais importantes acionistas da PT. O primeiro passo da internacionalização”, disse Jereissati.

A formalização da parceria também prevê uma fusão da empresa de central de atendimento a clientes da Oi, Contax, com a Dedic, da Portugal Telecom. O plano deve ser mais detalhado dentro de 60 dias, segundo os acionistas da TMAR Participações. “Não existe nada que seja feito no curto prazo que vai mudar alguma coisa”, disse Jereissati.

Após a conclusão de todas as etapas da operação, será criado um comitê de engenharia, redes, tecnologia, inovação e oferta de serviços – que trabalhará em articulação com os comitês existentes – para compartilhar melhores práticas, permitir que as duas companhias se beneficiem de sinergias e tomar decisões a respeito de questões operacionais. Este comitê será presidido pela Portugal Telecom.”Nós vamos trabalhar em parceria, disponibilizar todos os recursos necessários porque isso (crescer no Brasil) está na nossa estratégia”, disse Zeinal Bava, presidente executivo da Portugal Telecom.

Publicidade