BLACK FRIDAY: ASSINE a partir de R$ 1 por semana
Continua após publicidade

OGX pode perder blocos arrematados em leilão

Empresa precisou prestar esclarecimentos à ANP sobre capacidade financeira para garantir seu direito de exploração

Por Da Redação
24 jan 2014, 20h06

A Óleo e Gás Participações (ex-OGX) informou em comunicado ao mercado ter prestado esclarecimentos à Agência Nacional de Petróleo (ANP) referentes à comprovação de adimplência (em dia com as obrigações financeiras) e capacidade financeira para continuar nos consórcios de explorações obtidos em leilões.

O prazo para a entrega dos documentos venceu nesta sexta-feira depois já ter sido prorrogado uma vez – o primeiro vencimento foi em 6 de janeiro, mas, a pedido da empresa, foi modificado. Se a documentação não estiver em dia ela pode perder o direito de explorar os blocos que arrematou.

As áreas em questão são os blocos ES-M-472, ES-M-529, ES-M-531, localizados na Bacia do Espírito Santo e os campos de Atlanta e Oliva, localizados no BS-4, na Bacia de Santos. Nestes últimos campos, a companhia tem parceria com a Queiroz Galvão Exploração e Produção (QGEP) e a Barra Energia.

Leia mais:

OGX: acordo com credores reduz a 5% participação de Eike​

Continua após a publicidade

OGX paga parte de dívida milionária à Queiroz Galvão e Barra Energia

Fundos vão definir futuro de OGX e HRT

Em processo de recuperação judicial, a Óleo e Gás Participações apresenta dificuldades de caixa. A empresa tem dívida de 5,8 bilhões de dólares dividida entre detentores de bônus internacionais (3,8 bilhões de dólares), a OSX (1,5 bilhão de dólares) e fornecedores (500 milhões de dólares).

Em dezembro, a petroleira foi notificada pela reguladora após denúncias de que não havia cumprido as obrigações previstas no contrato de concessão com a própria agência e com as demais empresas consorciadas, a Perenco e Sinochem, nos blocos da Bacia do Espírito Santo.

Continua após a publicidade

A empresa passou por situação semelhante em janeiro com a QGEP e a Barra Energia afirmaram à ANP que arcaram sozinhas com um pagamento de 73 milhões de reais referente aos campos de Atlanta e Oliva.

Em 9 de janeiro, a petroleira informou que efetuou o pagamento da primeira parcela e que cumpriria as obrigações dentro do prazo. Os dois campos são considerados as principais – e últimas – apostas para a sobrevivência da empresa criada por Eike Batista.

(com Estadão Conteúdo)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A melhor notícia da Black Friday

Assine VEJA pelo melhor preço do ano!

BLACK
FRIDAY

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana

a partir de R$ 1,00/semana*
(Melhor oferta do ano!)

ou

BLACK
FRIDAY
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

a partir de R$ 29,90/mês
(Melhor oferta do ano!)

ou

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas. Acervos disponíveis a partir de dezembro de 2023.
*Pagamento único anual de R$52, equivalente a R$1 por semana.