Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

OGX avalia venda de campos de petróleo para se capitalizar

Companhia reportou prejuízo líquido de 286 milhões de reais no 4° trimestre de 2012, ante prejuízo de 332,6 milhões de reais no mesmo período de 2011

Por Da Redação - 27 mar 2013, 16h40

A OGX, petrolífera do grupo do empresário Eike Batista, afirmou que não pretende elevar sua dívida e avalia vender participação em alguns campos para levantar recursos, disse um executivo da companhia nesta quarta-feira em conferência com analistas para comentar os resultados do último trimestre. Um diretor disse ainda que companhia pode ter um fator de recuperação de óleo de cerca de 25% nos campos da bacia de Campos e que os recursos em caixa e a receita da petrolífera serão suficientes para arcar com os investimentos em 2013, estimados em 1,3 bilhão de dólares.

A previsão dos investimentos para 2013, acrescentaram os executivos, não incluem gastos com participação nos leilões de petróleo previstos para este ano. A companhia reportou na noite de terça-feira um prejuízo líquido de 286 milhões de reais no quatro trimestre de 2012, ante prejuízo de 332,6 milhões de reais no mesmo período de 2011.

Leia também:

Volume de produção da OGX cai em fevereiro e ações despencam

Publicidade

A OGX também disse que prevê perfurar até o final de 2013 o primeiro poço produtor no bloco BS-4, na bacia da Santos, segundo os executivos. A empresa comprou, ao final de novembro, 40% de participação que a Petrobras tinha no BS-4, por 270 milhões de dólares. O bloco inclui as áreas conhecidas como Atlanta e Oliva.

A OGX é uma das empresas que foram habilitadas a participar da décima primeira rodada de petróleo e gás, a ser realizada neste ano pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis.

Leia também:

LLX tem prejuízo de R$ 15,6 milhões no 4º trimestre

Publicidade