Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

OGX anuncia queda de 40,4% na produção de julho e culpa danos nas bombas

Em comunicado, empresa afirma que todos os problemas serão reparados até setembro e que declarações de Eike a respeito da capacidade do campo se baseavam no que as certificadoras haviam atestado

Por Da Redação 9 ago 2013, 17h09

A OGX, empresa petroleira do grupo de Eike Batista, anunciou na noite desta quinta-feira que a produção de óleo e gás de julho registrou queda de 40,4% em relação ao mês anterior, atingindo a média de 13,7 mil barris por dia.

Só no campo de Tubarão Azul, na Bacia de Campos – principal aposta da companhia -, a perda foi de 90,7%. A estimativa era que o campo teria capacidade para produzir 110 milhões de barris. Contudo, a produção chegou a somente 900 barris de óleo equivalente (associado ao gás) por dia. Segundo comunicado da OGX, o resultado se deu por conta de danos nas bombas centrífugas submersas, que impediram os poços de trabalharem mais de três dias em julho. A empresa ainda garante que as falhas serão reparadas e todo o mecanismo deve estar completamente pronto em meados de setembro. No mês passado, foi o Tubarão Azul que desapontou, com produção diária de 9,7 mil.

Leia ainda: ANP quer definir situação de poços da OGX na próxima semana

Tecnologia – No início de julho, a OGX surpreendeu o mercado com a informação de que não dispunha de tecnologia capaz de viabilizar investimentos adicionais no campo de Tubarão Azul e que os três poços em operação poderiam cessar a produção já no ano que vem. Na última quinta, pouco antes de registrar o relatório de produção na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a petroleira fez outro comunicado ao mercado, esclarecendo as declarações de Eike Batista em artigo recentemente publicado na imprensa. No texto, o empresário justificava as expectativas feitas por ele e que animaram investidores a injetar bilhões na petroleira.

“Eu não investi na indústria do petróleo sem me cercar daqueles que eu e o mercado entendíamos estar entre os mais capacitados profissionais com que se podia contar”, disse, argumentando que as certificadoras haviam atestado que “a OGX possuiria recursos aproximados de 10,8 bilhões de barris de petróleo equivalente”.

Leia também:

Seis empresas assinam contratos da 11ª Rodada – menos a OGX

Eike assiste à implosão de seu império, afirma ‘FT’

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade