Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Odontoprev e Fleury compram Papaiz Diagnósticos por R$ 18,4 milhões

Fleury CPMA ficará com 51% do capital social do Grupo Papaiz e a Clidec controlará a empresa que deterá os 49% restantes

Por Da Redação 28 set 2012, 10h55

A Odontoprev comunicou nesta sexta-feira a aquisição da Papaiz Associados Diagnósticos por Imagem (Grupo Papaiz) por meio de sua controlada Clidec – Clínica Dentária Especializada Cura Dars. O negócio foi fechado por 18,4 milhões de reais. A compra será feita em parceria com a Fleury Centro de Procedimentos Médicos Avançados (CPMA), sociedade controlada pela Fleury S.A.

Segundo a Odontoprev, cumpridas as condições precedentes, o Fleury CPMA ficará com 51% do capital social do Grupo Papaiz e a Clidec controlará a empresa que deterá os 49% restantes, além de abrigar alguns dos vendedores e atuais executivos do Grupo Papaiz. A Odontoprev não revelou, em fato relevante distribuído nesta sexta-feira, o valor do negócio.

Leia também:

Qatar Holding nega negociar compra da AUX, de Eike Batista

Equatorial Energia fecha compra da Celpa

Continua após a publicidade

BTG compra mais 30% do capital da Leader

O Grupo Papaiz tem oito unidades operacionais na região metropolitana de São Paulo, que oferecem serviços de tomografia, radiografias intra e extra-bucais, documentação ortodôntica e modelos de arcada dentária. Entre 2006 e 2011, a receita bruta do Papaiz cresceu a uma taxa média anual (CAGR) de 20%. Nos 12 meses finalizados em junho de 2012, a receita líquida atingiu 13,4 milhões de reais, com Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) de 3,7 milhões de reais (27,6% de margem).

“A Papaiz tem liderança e diferenciais únicos em diagnósticos odontológicos, com executivos altamente experientes. Somando-se a excelência do Grupo Fleury, a companhia tem convicção de que será capaz de proporcionar melhores serviços aos seus beneficiários e cirurgiões-dentistas credenciados”, diz a Odontoprev.

Detalhes – O valor da aquisição é de cerca de 5,0 vezes o Ebitda. “A dívida líquida, estimada em 260 mil reais, será descontada do preço total. Cerca de 2,7 milhões de reais serão retidos a título de riscos e contingências. Dos 15,5 milhões de reais restantes, aproximadamente 724 mil reais serão liberados de imediato e os outros 14,8 milhões de reais, liberados após aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica.

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade

Publicidade