Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

OCDE reduz previsão de crescimento da economia global em 2019 e 2020

No documento, a OCDE estima que a economia global crescerá 3,3% este ano e 3,4% em 2020 - previsão anterior era de 3,5% para ambos os anos

Incertezas políticas, tensões comercias e queda na confiança de empresas e consumidores fizeram com que a Organização para Cooperação do Desenvolvimento Econômico (OCDE) reduzisse a previsão de crescimento da economia mundial para os próximos anos.

No documento divulgado nesta quarta-feira, 6, a entidade estima que a economia global crescerá 3,3% este ano e 3,4% em 2020. Em novembro, a entidade previa expansão mundial de 3,5% em ambos os anos.

Diante da disputa comercial entre Estados Unidos e China, as duas maiores economias do mundo, a OCDE também revisou ligeiramente para baixo suas projeções para ambos os países. No caso dos EUA, a expectativa é que a economia tenha crescimento de 2,6% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2019, um pouco menor que a estimativa anterior de 2,7%. Para a China, a previsão foi cortada de 6,3% para 6,2%.

Sobre o Reino Unido, a OCDE comentou que um eventual Brexit sem acordo elevaria substancialmente os custos para as economias europeias. A entidade prevê que o PIB britânico avançará 0,8% este ano e 0,9% em 2020. As projeções anteriores eram de ganhos de 1,4% e 1,1%, respectivamente.

“Substancial incerteza sobre a política econômica permanece na Europa, incluindo sobre o Brexit. Uma saída desordenada aumentaria os custos para as economias europeias de forma substancial”, completou a OCDE.

Brasil

Em relação ao Brasil, a entidade cortou sua estimativa de alta do PIB deste ano de 2,1% para 1,9%. Em 2020, a OCDE continua esperando que a economia brasileira ganhe força e cresça 2,4%, previsão que não se alterou.

Na avaliação da OCDE, a maior confiança de empresas, a redução das incertezas políticas, a desinflação e a melhora do mercado de trabalho deverão sustentar a demanda doméstica no Brasil.

A entidade diz também que a implementação da agenda de reformas do governo brasileiro, particularmente a da Previdência, continua sendo fundamental para a recuperação do crescimento no País.

As estimativas de analistas internos são mais otimistas do que da entidade internacional, No Boletim Focus da semana passada, a previsão para o PIB era de 2,48%. Nesta quarta, o BC divulga novo relatório com as previsões de economistas.

Em 2018, o PIB brasileiro cresceu 1,1%.

(Com Reuters e Estadão Conteúdo)