Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Obama pressiona a Europa para que adote ações ‘decisivas’ contra crise

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu nesta sexta-feira para que os líderes europeus adotem ações urgentes e decisivas para combater a crise econômica e advertiu a Grécia sobre os perigos de sair da zona do euro, ante as próximas eleições legislativas.

Em um momento no qual a imprensa tem afirmado que as autoridades europeais estão trabalhando em um plano de resgate para o sistema bancário espanhol, Obama disse estar confiante de que os líderes da região entendiam a gravidade da crise, que influi negativamente em suas possibilidades de ser reeleito.

“É preciso atuar mais rapidamente para injetar capitais aos bancos em dificuldades”, argumentou o presidente dos Estados Unidos, que afirmou que é “possível” resolver os problemas da Europa.

Além disso, o presidente americano sugeriu às autoridades do velho continente que adotem uma visão de longo prazo “para uma zona do euro mais sólida”, com uma colaboração também em matéria de política orçamentária e bancária.

“As decisões requeridas são duras, mas a Europa tem a capacidade de tomá-las. (…) E quanto antes atuarem e quanto mais decisivas e concretas forem as ações, mais cedo o povo e os mercados recuperarão a confiança e menores serão os custos” das soluções, disse em um momento no qual a situação dos bancos na Espanha preocupam os mercados.

Sobre a Grécia, Obama disse que a saída do país da zona do euro seria ruim para a nação, mas mostrou esperanças de que o país se recuperará com a ajuda europeia.

“Sabemos dos sacrifícios feitos pelo povo grego e os líderes europeus entendem a necessidade de apoiá-los caso queiram permanecer na Eurozona”, disse.

Há nove dias das eleições na Grécia, cujos cidadãos vão às urnas pela segunda vez em seis semanas, devido à incapacidade dos grupos políticos de formar um governo, Obama fez votos de que o país continue no euro.

Os eleitores da Grécia, no entanto, permanecem profundamente divididos.

O partido grego Syriza, uma formação de esquerda contrária aos planos de austeridade impostos pelo resgate internacional, encabeça as pesquisas desatando temores sobre uma saída do país da zona do euro, apesar de que outras formações como Nova Democracia, também contam com alta intenção de voto e são favoráveis à permanência no euro e aos planos de corte.

Obama, que tem se mantido em contato permanente com seus homólogos europeus nas últimas semanas, disse que é preciso tomar medidas para evitar uma maior deterioração da situação, incluindo ações rápidas para estabilizar os bancos.

Nesta sexta-feira elevaram-se as pressões para que a Espanha peça ajuda imediata à Europa para recapitalizar seus bancos, com os mercados financeiros especulando sobre um iminente resgate dos fundos europeus aos bancos espanhóis neste fim de semana, apesar de Madri e a Comissão Europeia não confirmarem essa hipótese.

“Haverá algo neste fim de semana, não sei se será através dos ministros (europeus) ou de altos funcionários”, disse uma fonte próxima ao caso.

“O ‘Euro working group’ (grupo de trabalho do Eurogrupo) está preparado, pronto para reunir-se neste fim de semana caso haja um pedido da Espanha”, disse outra fonte à AFP.