Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

O que mais irritou o consumidor em 2016?

Bloqueios ao WhatsApp? Celulares explosivos? Pelo de rato? Toblerone 'enxuto'? Alta de preços da Netshoes? Vote na página de VEJA no Facebook

Por Da redação Atualizado em 19 dez 2016, 14h49 - Publicado em 16 dez 2016, 19h48

O que mais irritou os consumidores em 2016? Enquete de VEJA coloca na disputa os bloqueios ao WhatsApp, os celulares explosivos da Samsung, o extrato de tomate com pelo de rato, o Toblerone com menos triângulos e a alta de preços da Netshoes sobe preço em meio à tragédia. Vote na página de VEJA no Facebook.

Bloqueios ao WhatsApp

Logo do Whatsapp

Decisões judiciais bloquearam o WhatsApp no Brasil mais de uma vez em 2016. Os bloqueios foram determinados para que o Facebook, dono do aplicativo, colaborasse com investigações sobre tráfico de drogas. Os bloqueios não duraram muito, o que não impediu o tema de ser um dos campeões de queixas dos usuários nas redes sociais – e também fora delas.

Celulares explosivos da Samsung

Usuário mostra aparelho Samsung Galaxy 7 que pegou fogo enquanto a bateria era recarregada
Usuário mostra aparelho Samsung Galaxy 7 que pegou fogo enquanto a bateria era recarregada Reprodução/VEJA.com

O Galaxy Note 7, smartphone lançado pela Samsung em 2016, foi uma dor de cabeça gigantesca para a empresa. Muitos aparelhos pegavam fogo ou simplesmente explodiam quando suas baterias estavam sendo carregadas. O problema exigiu um recall de mais de 2 milhões de aparelhos no mundo – e, por fim, a interrupção de sua produção.

Toblerone com menos triângulos

Na primeira imagem, o novo formato do Toblerone no Reino Unido
Na primeira imagem, o novo formato do Toblerone no Reino Unido Divulgação/VEJA.com
Continua após a publicidade

O chocolate Toblerone, com sua tradicional barra dividida em pequenas “pirâmides”, mudou de formato no Reino Unido – e despertou a fúria de centenas de consumidores nas redes sociais. O formato triangular das subdivisões da barra permanece, mas a distância entre cada um dos pedaços cresceu. Os fãs da marca não perdoaram.

Extrato de tomate com pelo de rato

Extrato de tomate

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a comercialização e a distribuição de quatro lotes de extrato de tomate das marcas Amorita, Predilecta, Aro e Elefante, além de um lote de molho de tomate tradicional da marca Pomarola. A punição às cinco marcas deveu-se a uma descoberta pouco lisonjeira: havia pelo de roedor nos lotes proibidos.

Alta de preços da Netshoes

Camisa oficial da Chapecoense
Umbro/Divulgação

Em uma ação ligada à Black Friday, a Netshoes havia colocado em promoção camisas de inúmeros clubes de futebol, entre eles a Chapecoense. No dia da tragédia com o avião da equipe na Colômbia, os preços subiram para retornar a seu nível habitual – e os consumidores, inconformados com o aparente “oportunismo”, desaguaram críticas contra a empresa. A Netshoes esclareceu que o “aumento” dos preços havia, na verdade, ocorrido automaticamente por causa do fim dos estoques, e que, para não soar como oportunismo, ela voltou a baixá-los manualmente, mas, involuntário ou não, o reajuste irritou muita gente.

Os leitores de VEJA votaram pelo Facebook e elegeram o bloqueio do WhatsApp como o episódio que mais irritou o consumidor em 2017, com 2.861 votos. Na sequência aparecem o a alta de preços da Netshoes (com 1.761 votos), pelo de rato no molho de tomate (583), Toblerone com menos triângulos (257) e, em último lugar, os celulares explosivos (198).

Continua após a publicidade

Publicidade