Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

O caos na Tesla, de Elon Musk, com acusações de racismo e assédio

Ao menos 10 processos alegando discriminação generalizada ou assédio estão sendo respondidos pela companhia

Por Renan Monteiro Atualizado em 1 jul 2022, 16h11 - Publicado em 1 jul 2022, 11h29

Em meio a uma série de demissões e polêmicas sobre o modelo de trabalho remoto, os executivos da Tesla também enfrentam uma onda de acusações de assédio ou abuso. Na mais recente, quinze atuais ou ex-funcionários negros da companhia entraram com uma ação judicial contra a fabricante de carros elétricos alegando abuso racial no ambiente de trabalho, especificamente na fábrica da cidade de Fremont, na Califórnia. 

Termos como “nigger” (de forte conotação racial pejorativa nos EUA), “escravidão” ou “plantation” (as antigas fazendas escravocratas), além de expressões de teor sexual, faziam parte da rotina de um ambiente com “discriminação racial flagrante, aberta e não mitigada”, conforte ação judicial a qual a agência de notícias Reuters teve acesso. O racismo seria perpetrado por gerentes e funcionários dos recursos humanos regularmente, incluindo o redirecionamento de alguns dos denunciantes para atividades “fisicamente exigentes” na fábrica ou preteridos para promoção, de acordo com o processo.

A ação está longe de ser isolada. Ao menos 10 processos alegando discriminação generalizada ou assédio estão sendo respondidos pela Tesla na esfera jurídica. Há, inclusive, um caso movido por um acionista acusando diretamente o CEO Elon Musk e os gestores de negligência em relação às acusações internas de má conduta no ambiente de trabalho.

No início de junho, a Tesla havia acusado formalmente o Departamento de Emprego Justo e Habitação (DFEH) da Califórnia, uma agência governamental, de conduzir investigações inadequadas e “sem fundamentos” sobre a empresa automobilística. Segundo a defesa da empresa, as medidas do departamento estariam descumprindo requesições necessárias à investigação, antes de judicializar uma queixa.  

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)