Clique e assine a partir de 9,90/mês

NY deve abrir em baixa com incerteza com Espanha e China

Por Da Redação - 9 jul 2012, 10h29

Por Sergio Caldas

Nova York – Os índices futuros das bolsas de Nova York indicam uma abertura em baixa nesta segunda-feira, com a elevação no yield (retorno ao investidor) sobre títulos espanhóis e preocupações com a desaceleração da economia da China afetando o sentimento do investidor antes do início da temporada de balanços do segundo trimestre.

Às 10h15 (de Brasília), o índice futuro Dow Jones recuava 0,29%, o Nasdaq perdia 0,06% e o S&P 500 caía 0,38%.

O euro era negociado em US$ 1,2286, de US$ 1,2284 na sexta-feira. O contrato do petróleo WTI recuava 0,11%, para US$ 84,36 o barril na Nymex, depois de subir mais cedo e bater a máxima de US$ 85,22.

Continua após a publicidade

Os futuros de ações nos EUA estão pressionados pela bolsas europeias, que caem nesta manhã em meio ao ceticismo dos investidores com a reunião de ministros das Finanças da zona do euro, que acontece nesta segunda-feira e amanhã em Bruxelas. Além disso, o yield sobre o título de dez anos da Espanha subia acima do sensível patamar de 7%. Os ministros do chamado Eurogrupo discutem detalhes de um plano de ajuda para o setor bancário espanhol, assim como a criação de um órgão regulador para os bancos da área do euro.

Em relação às empresas negociadas em Nova York, as ações da gigante do alumínio Alcoa caíam 0,2% no pré-mercado. A empresa vai dar início à temporada de balanços ao divulgar seus números referentes ao segundo trimestre, no final desta segunda-feira.

Já a seguradora de saúde Amerigroup viu suas ações dispararem 39% após a divulgação de que a empresa será vendida para a WellPoint, por US$ 4,46 bilhões em dinheiro. Os papéis da WellPoint subiam 1,8% antes da abertura. As informações são da Dow Jones.

Publicidade