Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Número de trabalhadores na indústria cai 3,2% em 2014

Segundo IBGE, foram oito meses seguidos de recuo no indicador, com um leve respiro em dezembro, quando houve aumento de 0,4%

Depois de oito meses de queda, o indicador de emprego na indústria subiu 0,4% em dezembro. Contudo, a alta não foi suficiente para compensar o ano ruim do setor e o total do número de trabalhadores na indústria recuou 3,2% no acumulado de 2014, segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É o terceiro ano seguido que a taxa é negativa. Em 2013, a taxa anual havia caído também, mas menos, 1,1%. Em 2012, a baixa foi de 1,4%.

Na comparação de dezembro passado com o de 2013, o emprego industrial caiu 4% na comparação entre dezembro de 2014 e dezembro de 2013. Este é o 39º resultado negativo consecutivo nesse tipo de comparação.

O principal impacto negativo sobre a média geral foi observado em São Paulo, na comparação anual de dezembro, onde o número de pessoal ocupado caiu 4,7%. Também ficaram no campo negativo as regiões Nordeste (queda de 4,4%), Minas Gerais (4,5%), Norte e Centro-Oeste (4,4%), Rio Grande do Sul (3,3%), Paraná (2,8%) e Rio de Janeiro (4%).

Leia também:

Taxa de desemprego cai para 6,8% em 2014, aponta Pnad Contínua

O pilar do emprego começa a ruir – e as demissões batem à porta

Criação de vagas de trabalho é a pior desde 2002

Ainda segundo o instituto, em dezembro, o número de horas pagas aos trabalhadores da indústria, já descontadas as influências sazonais, caiu 0,1% ante novembro. Na comparação com dezembro de 2013, o número de horas pagas recuou 5,3%, 19ª taxa negativa consecutiva neste tipo de confronto. No acumulado do ano, o indicador retraiu 3,9%.

Cenário ruim – Desde o ano passado surgem notícias de demissões na indústria. Só as montadoras demitiram 12.400 trabalhadores em 2014. No setor de autopeças foram 19.000 cortes. Segundo dados do IBGE, a indústria eliminou 140.000 vagas na passagem de novembro para dezembro, o equivalente a uma redução de 3,9% no total de ocupados no setor. Na comparação com dezembro de 2013, a atividade cortou 105.000 postos de trabalho, uma queda de 3% no número de empregados.

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) estimou que somente a indústria paulista demitiu 128.500 funcionários em 2014, o equivalente a uma perda de 4,9% do emprego do setor e o pior desempenho em oito anos. Apenas em dezembro, a indústria paulista demitiu cerca de 40.000 funcionários, de acordo com a Fiesp.