Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Número de multimilionários chineses bate recorde

O número daqueles que possuem pelo menos 81 milhões de dólares superou os 17 mil

Por Da Redação 6 abr 2015, 15h50

O número de multimilionários chineses, aqueles cuja fortuna é igual ou superior a 500 milhões de iuanes (cerca de 81 milhões de dólares), bateu recorde em 2014. De acordo com dados de uma pesquisa elaborada pelo Banco Mingsheng e pelo Instituto de Pesquisa Hurun, mais de 17 mil pessoas se encaixam nesse perfil. O número é superior ao visto de 2008 a 2013, quando a lista não superou 1 mil chineses. Este é o maior número já visto pelo Hurun, que faz um levantamento ao estilo Forbes.

Juntos, os multimilionários do país somam uma fortuna de 31 trilhões de iuanes (5 trilhões de dólares), dez vezes o PIB anual da Noruega e 20 vezes o das Filipinas, comentou o instituto no relatório.

Pela primeira vez o estudo trouxe detalhes sobre quem está na lista, como e onde vivem, quanto acumularam e o tipo de trabalho que desempenham. Em média, todos eles têm cerca de 51 anos de idade e ativos no valor de 1,820 bilhão de iuanes (296 milhões de dólares).

Leia mais:

Ricos e poderosos antes dos 30 anos – saiba quem são eles

Fortuna de bilionários corresponde a 8% do PIB do Brasil

Continua após a publicidade

A maioria são empreendedores, promotores imobiliários ou investidores profissionais e não residem em cidades grandes como Pequim, mas em cidades como Shenzhen, perto da divisa com Hong Kong.

Entre eles, 300 têm pelo menos 10 bilhões de iuanes (1,6 bilhão de reais), 2,9 mil possuem desde 2 bilhões a 10 bilhões de iuanes (de 325 milhões a 1,6 bilhão de dólares), 5,1 mil de 1 bilhão a 2 bilhões de iuanes (162 milhões a 325 milhões de dólares) e o resto, de 500 a 1 bilhões de iuanes (de 81 milhões a 162 milhões de dólares).

O fundador da lista Hurun, Rupert Hoogewerf, atribuiu o recorde registrado ao rápido crescimento econômico da China e à melhora da bolsa de valores.

Otimismo – O estudo mostra que os multimilionários são otimistas com o ambiente de negócios atual e a metade deles pensa que nos próximos três anos será cada vez mais fácil obter empréstimos.

Em sua opinião, a economia global melhorará e os empreendedores desfrutarão de um melhor ‘status social’, apesar de só uma terceira parte deles considerar que obterão maiores lucro que na atualidade.

Do total, 80% destes endinheirados chineses planejavam investir no estrangeiro e a metade deles já fazem. Ao redor de 45% investiram em joias e jade, enquanto outros 29% manifestaram colecionar obras de arte de pintura e caligrafia.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês