Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Novo aumento do imposto poderá ser irrelevante

Segundo Financial Times, alta ainda é insuficiente para afastar investidores estrangeiros

Após a divulgação do aumento da taxa do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), feita pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, na noite de ontem, a opinião pública internacional não se abalou. De acordo com reportagem do jornal britânico Financial Times, os analistas não entenderam as razões da nova alta e afirmam que, quando a poeira baixar, os efeitos do aumento de 4% para 6% do IOF praticamente não serão sentidos.

Assim como não se abalaram pelo aumento de 2% para 4%, realizado em 4 de outubro, os investidores também não deverão se deixar intimidar pela nova alta, segundo o diário britânico. A taxa de juros superior a 10% ao ano ainda se mostra interessante, se comparada às taxas próximas de zero no mundo desenvolvido.

Alvise Marino, analista do banco Credit Suisse em Nova York, disse ao Financial Times um discurso já amplamente proclamado por economistas locais: “não se trata de o Brasil fazer bem seu dever de casa, e sim de os Estados Unidos não fazer o seu. É um problema relacionado ao dólar, e não ao câmbio em geral”, afirma.