Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Novas metas de produção da Petrobras serão realistas

RIO DE JANEIRO, 17 Mai (Reuters) – As novas metas de produção da Petrobras irão buscar a maior dose de realismo possível, num momento em que a estatal ainda trabalha na elaboração de seu Plano de Negócios 2012-2016 para divulgá-lo até agosto, disseram diretores da companhia nesta quinta-feira.

A Petrobras ainda não divulgou metas de produção de petróleo para 2012, após não ter conseguido cumprir o volume previsto no Brasil por dois anos seguidos (2011 e 2010).

A previsão de extração no ano passado era 2,1 milhões de barris diários de petróleo e ficou em média de 2,021 milhões de barris/dia.

As novas metas deverão ser divulgadas junto com o Plano de Negócios da estatal revisado, possivelmente até o mês de agosto, disse nesta quinta-feira o diretor financeiro da companhia, Almir Barbassa, a analistas, ao comentar o resultado da empresa no primeiro trimestre.

Segundo o diretor de Exploração e Produção da estatal, José Formigli, as metas de produção da Petrobras irão buscar a maior dose de realismo possível.

Ele disse que ainda não é possível saber se a eficiência na produção vai subir ou baixar este ano ao falar sobre a bacia de Campos, principal produtora do país, e explicou que o conceito de eficiência considera reparos e manutenções preventivas.

FRADE

Além disso, um dos importantes campos produtores, o de Frade, operado pela Chevron – onde a Petrobras possui participação de 30 por cento – está com a produção paralisada desde março por conta vazamentos.

Barbassa explicou que a companhia espera um retorno dos estudos sobre Frade para divulgar as novas metas.

“O consórcio do campo de Frade, operado pela Chevron, está no meio da análise sobre a exsudação. Vamos esperar as conclusões”, disse Barbassa.

Questionado sobre a possibilidade de fim da produção em Frade, o diretor Formigli disse que “há a possibilidade, mas não consideramos provável”.

NOVA PRODUÇÃO

Formigli disse projeto de Sapinhoá, no pré-sal da bacia de Santos, está indo bem em termos de plataforma e seus equipamentos estão sendo concluídos.

“O início do óleo do projeto deve começar em 2013 e há possibilidade de antecipação do cronograma”, disse, acrescentando que essa antecipação, se ocorrer, seria de semanas.

Já a P-55, cuja previsão inicial era de início das operações neste ano, deve entrar no segundo semestre de 2013, segundo Barbassa.

Também houve revisão da operação da plataforma P-37, e o novo cronograma prevê o início da produção entre junho e julho deste ano.

O projeto piloto de Lula, já em produção, atingiu 94 mil barris por dia com quatro poços, e a expectativa é ter 20 equipamentos em operação naquela área, disse Barbassa.

Segundo ele, a estatal deve ter 40 sondas operando até o fim de 2012, das quais 20 na área do pré-sal.

(Reportagem de Leila Coimbra)