Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Nouriel Roubini critica medidas cambiais brasileiras anunciadas pelo ministro Guido Mantega

Economista que previu a crise econômica global afirma que ajuste fiscal não será capaz de aliviar pressão sobre o real, como quer governo

Por Da Redação 11 jan 2011, 12h06

O polêmico economista americano Nouriel Roubini – conhecido por ter anunciado a crise econômica antes que ela, de fato, ocorresse – criticou alguns pontos da estratégia adotada pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, para frear a valorização do real. Ele acredita que a empreitada não será bem-sucedida.

Em entrevista à rede Bloomberg, Roubini afirmou que o plano de corte de gastos públicos seguido da redução da taxa de juros – que, segundo Mantega, deve segurar o câmbio – pode resultar em um efeito contrário. Segundo o economista, a melhora da situação fiscal brasileira pode atrair mais capital, já que os cortes de gastos públicos reduziriam o déficit no orçamento e aumentariam a qualidade do crédito do país.

Na avaliação de Roubini, gastos menores do governo também segurariam o déficit recorde nas transações correntes, o que também impulsionaria o real. “Se você é forte do ponto de vista fiscal, então você é ainda mais atraente como país e mais dinheiro virá para você”, disse o economista.

Apesar dos planos e tentativas do governo brasileiro, a moeda americana alcançou, na última semana, seu menor valor em 28 meses (1,643 real). Nem mesmo o aumento do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) de 2% para 6% para investimentos estrangeiros de curto prazo conseguiu aliviar o cenário. Em 2010 (até novembro), investidores estrangeiros aplicaram um valor recorde de 62 bilhões de dólares em títulos de dívida brasileira e ações, contra 46 bilhões de dólares em 2009, segundo o Banco Central.

Continua após a publicidade

Publicidade