Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nokia Siemens produzirá equipamento para 4G no Brasil

Edital do leilão estabelece que vencedoras deverão empregar ao menos 60% de equipamentos e tecnologias brasileiras entre 2012 e 2014

A Nokia Siemens Networks anunciou nesta quarta-feira que produzirá equipamentos para redes móveis de quarta geração (4G) no Brasil, com foco na banda larga. Segundo comunicado da empresa, a produção deve começar no terceiro trimestre de 2012.

O país será o primeiro país das Américas a dispor de manufatura local para a fabricação de estações rádio base Flexi Multiradio, voltada às redes de tecnologia 2G, 3G e LTE. O uso de equipamentos nacionais na construção da nova infraestrutura de rede é uma exigência do edital do leilão de 4G.

Na terça-feira as quatro maiores operadoras de telefonia – TIM, Oi, Claro e Vivo – adquiriram licenças nacionais de 4G, durante leilão realizado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A tecnologia promete velocidades de conexão até dez vezes mais rápidas do que as obtidas nas atuais redes de terceira geração (3G).

Conteúdo nacional – Em maio, o governo brasileiro travou discussão na Organização Mundial do Comércio (OMC) por exigências do edital que estabelecem que as vencedoras da licitação das faixas 4G deverão empregar pelo menos 60% de equipamentos e tecnologias brasileiras entre 2012 e 2014. Nos dois anos seguintes, o porcentual de “conteúdo nacional” passa para 65% e, entre 2017 e 2022, para 70%. As exigências têm como objetivo, segundo o governo, incentivar a produção nacional.

Depois de países da Europa, Estados Unidos e Japão levarem a questão ao órgão internacional, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou que “isso não transgride nenhuma legislação”. “Vamos dialogar. É uma obrigação dialogar com os países da Europa, com os Estados Unidos, com o Japão ou com quem queira discutir, mas não pretendemos mudar nada”, sentenciou.

Leia mais:

Leia mais: Conteúdo nacional: a doutrina perigosa de Dilma

(Com Agência Estado)