Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Moody’s rebaixa qualificação da Espanha em três patamares

Nova York, 13 jun (EFE).- A agência de classificação de risco Moody’s rebaixou nesta quarta-feira em três degraus a nota da dívida soberana da Espanha, da atual ‘A3’ (‘notável baixo’) até ‘Baa3’ (‘aprovado baixo’), e a situou em perspectiva negativa.

A Moody’s justificou o rebaixamento ao considerar que o recente resgate aos bancos espanhóis ‘aumentará’ a carga da dívida, seu ‘limitado’ acesso aos mercados financeiros e o ‘contínuo enfraquecimento’ da economia espanhola, afirmou em comunicado.

‘O que provocou o rebaixamento foi a necessidade do governo de pedir ajuda extra para recapitalizar seu sistema financeiro, não vemos isso como um sinal de força, mas sim fraqueza, porque o governo espanhol não foi capaz de financiar este saneamento por seus próprios meios’, disse à Agência Efe a analista de risco soberano da Moody’s, Kathrin Muehlbronner.

A especialista acrescentou que a Moody’s prevê agora que a dívida pública espanhola suba para 90% do PIB no final deste ano, o que disse ser ‘significativamente mais’ do que a agência esperava e um dos aumentos ‘mais drásticos’ que a qualificadora constatou nos últimos anos.

Muehlbronner acrescentou que esse panorama é enfrentado por uma economia frágil, por isso a agência vê um grande risco que o país tenha que pedir ainda mais ajuda externa, o que apontou como a principal razão para que a qualificação da Espanha já esteja tão perto do grau de ‘bônus lixo’.

A agência informou em comunicado que a carga da dívida da Espanha aumentou de forma ‘dramática’ desde o início da crise, em 2008, e que o limitado acesso aos mercados é notado por sua ‘dependência’ dos fundos europeus para recapitalizar os bancos.

‘O contínuo enfraquecimento da economia faz com que a fragilizada solidez financeira do governo e sua crescente vulnerabilidade ante um possível freio ao financiamento seja uma preocupação muito mais grave’, acrescentou a Moody’s.

A agência anunciou também que reduziu em três degraus, até ‘Baa3’, a nota que outorga ao Fundo espanhol de Reestruturação Ordenada Bancária (FROB), cuja qualificação também situa em perspectiva negativa para uma possível novo rebaixamento.

A Moody’s explicou que a revisão do rebaixamento terá como foco os resultados das auditorias externas às quais está sendo submetido o sistema financeiro espanhol, e os ‘detalhes’ e as ‘condições’ da ajuda anunciada no fim de semana passado pelo Eurogrupo.

Além disso, a agência de qualificação ressaltou que levará em conta a execução da estratégia que será implementada para recapitalizar os bancos, e ‘qualquer outra iniciativa’ que virá dos países da zona do euro.

Neste sentido, a Moody’s advertiu que a nota da Espanha, ‘da mesma forma que a de outros países da zona do euro’, poderá ser afetada de forma ‘adversa’ se aumentar o risco de saída da Grécia da moeda única europeia.

O rebaixamento de hoje por parte da Moody’s se soma ao anunciado no último dia 7 pela agência Fitch, que diminuiu também em três degraus, para ‘BBB’, a nota da dívida da Espanha a longo prazo e a situou em perspectiva negativa. EFE