Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Moody’s põe ratings da Odebrecht e da Andrade Gutierrez sob revisão para possível rebaixamento

Por Da Redação 20 jun 2015, 13h22

A agência de classificação Moody’s colocou os ratings das construtoras Odebrecht e Andrade Gutierrez sob revisão para possível rebaixamento, segundo relatório publicado neste sábado, 20. A decisão da Moody’s reflete a percepção de aumento do risco de crédito após os mandados de busca e apreensão e prisões preventivas de executivos nessas empresas, ontem, no âmbito da 14ª fase da Operação Lava Jato, que investiga esquemas de corrupção e cartel na Petrobras.

Tanto o rating de emissor na escala nacional brasileira quanto o de emissor na escala global atribuídos à Odebrecht foram colocados em revisão para rebaixamento. No caso da Andrade Gutierrez, foram colocados em revisão para possível rebaixamento os ratings corporativo e o de emissor.

A classificadora explica que, embora as investigações em relação às empreiteiras ainda estejam em andamento, sem a condenação ou penalidades, as buscas e as prisões feitas ontem podem afetar negativamente a execução de estratégias de crescimento no curto prazo. Dentre os presos, estão o presidente da Andrade Gutierrez, Otávio Azevedo, e o da Odebrecht, Marcelo Odebrecht. Eles estão detidos na Custódia da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, sede das investigações da Lava Jato.

Companhias sob investigação podem receber penalidades monetárias, atenta a Moody’s, e também correm o risco de sofrer prejuízos de reputação e enfraquecimento da confiança do investidor, tendo acesso reduzido aos mercados de capitais público e privado, bancos de desenvolvimento e agências de financiamento multilateral. A nova Lei anticorrupção, por exemplo, impõe multas de até 20% da receita anual bruta, proibição de recebimento de financiamento subsidiado de entidades públicas e até mesmo a dissolução do grupo.

O processo de revisão dos ratings, segundo a Moody’s, focará na capacidade prospectiva das companhias de suportar seus negócios e continuar operando em ambiente conturbado. Sob viés positivo para a Odebrecht, a Moody’s ressalta que a companhia tem liquidez suficiente para cobrir todos os vencimentos de dívida e garantias extrapatrimoniais, “o que mitiga potenciais implicações negativas sobre os negócios no curto prazo”.

Continua após a publicidade

Publicidade