Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Moody’s estuda rebaixar nota da dívida do Japão

Segundo agência, os custos do terremoto de 11 de março revelaram-se muito maiores, as perspectivas de crescimento são 'instáveis', e a ação política, 'débil'

A agência de classificação de risco Moody’s anunciou nesta terça-feira que vai revisar a nota da dívida do Japão para, possivelmente, baixá-la mais uma vez. Em fevereiro, a perspectiva da dívida soberana japonesa já havia passado de “estável” a “negativa”.

A agência aponta dificuldades do governo para estabelecer uma meta confiável de redução do déficit público e indica que a dívida do Japão, já superior à de outras potências, “aumentará inexoravelmente”. A dívida pública do Japão supera em duas vezes seu Produto Interno Bruto (PIB), e é a maior de um país industrializado.

Segundo a Moody’s, os custos econômicos do terremoto de 11 de março revelaram-se muito maiores que as primeiras estimativas e agravaram os efeitos da crise financeira global da qual o país ainda se recuperava.

Para a agência, as perspectivas de crescimento econômico são “instáveis”, e a resposta política tem sido “débil”. Este mês, o governo japonês confirmou que o PIB do país encolheu pela segundo trimestre consecutivo, caracterizando recessão econômica.

Mas a Moody’s descarta uma crise da dívida – no limite, o calote – tanto no curto como no médio prazo.

O anúncio da Moody’s ecoa a avaliação divulgada na sexta-feira pela Fitch, que também rebaixou de “estável” para “negativa” a perspectiva no longo prazo da dívida do Japão em razão do forte endividamento do país. Moody’s e Fitch são, ao lado da Standard and Poor’s, as principais agências de avaliação de dívidas de governos e empresas.

(com EFE)