Clique e assine com até 92% de desconto

Moody’s afirma que calote dos EUA é improvável

Para o presidente da agência, governo vai cumprir com obrigações mesmo se limite do endividamento do país não for elevado

Por Da Redação 8 out 2013, 10h07

A agência de classificação de risco Moody’s vê uma chance muito pequena de os Estados Unidos darem calote em sua dívida no fim deste mês, afirmou seu presidente, Michel Madelain, nesta terça-feira.

“Nós temos um rating ‘AAA’ e uma perspectiva ‘estável’ (para os Estados Unidos), que reflete nossa visão de que o calote é um evento extremamente improvável”, disse Madelain em uma conferência, em Tel Aviv, Israel. “A paralisação realmente não afeta a credibilidade do governo”.

Leia mais:

Moody’s rebaixa perspectiva de rating do Brasil

Há uma semana parte das atividades da Casa Branca foi paralisada por falta de recursos, uma vez que os membros do Senado e da Câmara não chegaram a um acordo sobre a questão orçamentária.

Continua após a publicidade

Além disso, há uma discussão ainda mais calorosa sobre o teto da dívida americana: se ele não for elevado, no próximo dia 17 os Estados Unidos podem decretar calote de algumas dívidas, já que não terão dinheiro para arcar com seus custos.

As discussões, que dividem republicanos (maioria na Câmara) e democratas (maioria do Senado), também envolvem a questão da reforma da saúde no país, usada como moeda de troca. Ainda não há sinais de consenso sobre a questão.

Leia ainda: Ações da Oi desabam após reavaliação da S&P e da Moody’s

Para o presidente da Moody’s, o governo norte-americano vai tomar todas as medidas possíveis para pagar os juros e o principal de sua dívida na data, mesmo se o limite do endividamento público não for aumentado.

A agência elevou, em julho, a perspectiva do rating AAA dos Estados Unidos de “negativa” para “estável”, afirmando que a economia norte-americana tem mostrado resiliência.

(com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade